Os resultados de uma enquete realizada pelo Jornal Ibiá, na semana passada, deram certo ânimo ao prefeito Kadu Müller, pré-candidato à reeleição, e a seus apoiadores. Entre as 602 pessoas que se manifestaram, 48% atribuíram os conceitos Ótimo e Bom à Administração Municipal, enquanto 36% disseram que é Péssima ou Ruim. Os 16% restantes a consideram Regular. O que chama a atenção nestes números é que eles não refletem aquilo que se costuma ler nas redes sociais. Tanto nos grupos vinculados a Montenegro no Facebook quanto nos espaços da própria Prefeitura, tirando os CCs do governo, a grande maioria das manifestações tem o viés da crítica ou da cobrança. A enquete mostra que talvez exista um grupo silencioso que, enfim, consegue enxergar os aspectos positivos. Resta saber se estão dispostos a votar pela continuidade, reelegendo o prefeito. De qualquer forma, a enquete deixa uma pista: construir campanhas sobre as observações colhidas no Face ou escolher as redes sociais como principal veículo de comunicação é o caminho mais curto para o fracasso.

Comunicação – Em tese, entre os 16% que consideram a Administração Regular, alguns podem ser convencidos de que ela é boa ou ruim. Vai depender do desempenho do prefeito daqui para a frente e de como ele vai se comunicar com a população. Kadu admite que não tem sabido construir uma boa autoimagem, o que pode ser fatal ao projeto de reeleição.

Bem, obrigado – Os participantes não titubearam quando foram chamados a apontar o setor em que a Administração possui o melhor desempenho. A Saúde venceu com 60% das indicações, apesar de estarmos em meio a uma pandemia. Isso se deve a uma série de melhorias que foram implementadas no último ano, como a transferência do Plantão 24h do Hospital Montenegro para a Timbaúva, a abertura de postos de saúde e a redução das filas para retirada de medicamentos e agendamentos de consultas especializadas.

Papéis – Especificamente sobre a atuação da Administração no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, mais da metade dos participantes votou Bom ou Ótimo (55,4%). Difícil é saber se compreendem que as ações da Prefeitura se limitam basicamente ao atendimento médico e à sanitização das ruas, já que as definições sobre abertura e fechamento do comércio são do governo do Estado. Dependendo da duração do problema, este conceito pode se alterar bastante.

Buracolândia – Na outra ponta, o atendimento ao interior e as dificuldades de conservação das ruas são o grande “calcanhar de Aquiles” do governo. Ninguém mais aguenta a buraqueira nas ruas e nas estradas do interior, as redes de esgoto e as calçadas quebradas. Ao negligenciar estas duas áreas tão importantes, o governo atingiu duramente a autoestima da população. Um erro grave, que terá o seu preço.

Satisfação – A troca do Plantão, vista com receio por integrantes do próprio governo antes de ser realizada, acabou se mostrando uma decisão correta. Hoje o HM dispõe de mais espaço e condições de realizar seu trabalho nas especialidades médicas e a população encontra um bom atendimento na Timbaúva. As queixas, que antes eram diárias, praticamente sumiram.

Distorção – Depois que os resultados da enquete foram divulgados, os críticos do governo passaram a espalhar, através do whats app, que os resultados positivos são fruto da participação em massa dos CCs. Se for, no médio e no longo prazos, pior para o prefeito, já que suas futuras ações de campanha poderão ser planejadas sobre uma realidade distorcida.

__________________________________________________

Governistas prometem revidar
Semana passada, a Administração Municipal anunciou o asfaltamento de mais uma quadra da Rua Assis Brasil, a última em direção ao Cais. O vereador Valdeci Alves de Castro (Republicanos) reclamou, alegando que a via já era calçada e que existem outras, de chão batido, esperando pela melhoria. A bancada governista, formada por Talis Ferreira e Joel Kerber, do Progressistas, Josi Paz, Rose Almeida e Sérgio de Souza (PSB), revidou. Lembraram que foi a própria comunidade que fez a solicitação. Também entendem que a crítica é válida, mas que as realizações do governo devem ser reconhecidas na mesma medida.

Defesa – Talis Ferreira deixou claro que, a partir de agora, as manifestações do colega não ficarão mais sem respostas. “Vou debater mais”, anunciou. “O prefeito Kadu tem resolvido problemas que o seu candidato, Percival de Oliveira, que já foi prefeito por oito anos, não solucionou”.

Enchente – Se o asfaltamento merece crítica, não é porque poderia ter sido colocado em outra rua, mas em virtude da localização. Ali, a Assis Brasil é tomada pela enchente. Com a via impermeabilizada, a tendência é que a água demore mais a baixar e avance em direção ao Centro.

__________________________________________________

Salários
A Câmara ainda tem uma importante tarefa antes das eleições: fixar os subsídios do prefeito, do vice, dos secretários municipais e dos próprios vereadores para a próxima legislatura. Com o pleito adiado para 15 de novembro, o prazo foi esticado, mas uma definição já existe: os valores atuais não poderão ser aumentados, apenas reduzidos. É que, pela Lei de Responsabilidade Fiscal, um eventual aumento de despesas teria de ser aprovado, no mínimo, 180 dias antes do fim do mandato, ou seja, em 30 de junho. Já era!

Risco – Quanto mais próximo das eleições a decisão for tomada, pior para os atuais vereadores. A população será lembrada do quanto eles ganham e talvez se questione se estão à altura deste salário.

Briga por vaga
O afastamento do vereador Erico Fernando Velten (PDT) do cargo entre os dias 17 de julho e 10 de agosto, por motivos de saúde, provocou burburinho na Câmara. É que o primeiro suplente da sigla é o servidor público Sérgio de Souza (foto), que, inclusive, já havia assumido antes, mas migrou para o PSB este ano. A direção do PDT chiou e até tentou barrar sua posse. Queria que a vaga fosse ocupada pelo segundo suplente, o ex-deputado e ex-prefeito Paulo Azeredo.

Direitos iguais – O argumento dos pedetistas era o de que, não sendo mais da legenda, Souza não pode ocupar uma vaga que, por lei, pertence ao PDT. O assunto foi parar no Judiciário, que mandou empossar o suplente. O raciocínio é simples: se, durante a janela partidária, aberta em março, os vereadores puderam trocar de partido sem perder o mandato, não há como punir os suplentes. A filiação ao PSB ocorreu em 27 de março, dentro do prazo para as “puladas de cerca”.

Multa
Ex-secretário municipal da saúde e pré-candidato a vereador, Luiz Azeredo, o Luiz das Remoções, quer que a Prefeitura multe as pessoas que não usam máscaras nas ruas durante a pandemia. Pode até ser necessário, mas, em ano eleitoral, ninguém vai comprar essa briga.

Rapidinhas
Vereador Talis Ferreira (Progressistas) quer que a Prefeitura crie um serviço de resgate e guarda de animais (bovinos e cavalos) que forem encontrados nas ruas. E que estabeleça multas aos responsáveis por maus tratos e abandono, assim como a possibilidade de entrega para adoção caso não sejam reclamados.

Prefeito Kadu e vereadora Josi Paz (PSB) estiveram na Casa do Produtor Rural, no sábado, anunciando melhorias nas instalações. A sintonia entre os dois sugere que já está formada a chapa que disputará as eleições.

Pena que as obras ainda vão demorar. Semana passada, o projeto recém entrou na Câmara. Depois da aprovação, ainda tem a licitação para contratação do serviço e, só aí, as melhorias começam.

Aliás, sábado foi comemorado o Dia do Colono e do Motorista. Até políticos que não sabem a diferença entre uma vaca e uma cabra foram às redes sociais parabenizar os agricultores.

E no domingo, Dia dos Avós, alguns pré-candidatos até ressuscitaram a vovó e o vovô que “assassinaram” no Ensino Médio para justificar uma falta à escola em dia de prova difícil.

Deixe seu comentário