A famosa frase do personagem Chapolin Colorado se encaixa muito bem na situação que vive o montenegrino que precisa tirar a carteira de identidade, encaminhar seguro-desemprego ou até buscar vagas de trabalho; e encontra a agência do Sine interditada. Mesmo que existam alternativas para que parte desses atendimentos ocorram em meios digitais, só um alienado pra dizer que todos têm o mesmo acesso e o conhecimento necessário para usar essas plataformas. Diante disso, chama atenção o silêncio de nossos representantes sobre o caso. Nem vereadores, nem prefeitos (atual ou eleito) comentaram a situação ou parecem ter se mexido na busca por uma solução. Na fase pós-eleição/fim de mandato, soa como pouco interesse a falta desses serviços à comunidade.

Estrutura – A lista de problemas no prédio do Estado que levaram à interdição da agência do Sine e do Posto de Identificação é bem grande. Fala de infiltrações, curto circuito em instalações, bolor, infestação de cupins, calhas quebradas e, inclusive, diminuição de resistência estrutural. Um risco à segurança de quem trabalhava e frequentava o local.

Anunciado – A interdição pela secretaria de Obras pode não ter pego de surpresa quem acompanha o noticiário local. Era um problema anunciado. Em 2019, por exemplo, água acumulada da chuva derrubou o forro de gesso e até uma luminária na sala da coordenação. No ano anterior, foi um pedaço de concreto que desprendeu da marquise durante uma madrugada.

Sem previsão – A coordenação do Sine conta que há projeto de reforma para o prédio que já está protocolado. Mas quem conhece a situação financeira do Estado e a demora dos trâmites burocráticos sabe que pode esperar sentado pela execução de todas as melhorias necessárias. Aquele prédio do Centro não vai reabrir tão cedo.

Alternativas – O jeito, para continuar com o serviço na cidade, é buscar alternativas para instalação do Sine em um novo local. Cabe ao prefeito eleito e aos vereadores usarem seus contatos políticos no Governo do Estado para resolver a situação.

Identificação – Por estarem funcionando no mesmo local, muita gente coloca o Sine e o Posto de Identificação “no mesmo saco”, mas são órgãos diferentes. A parte das identidades é gerida pelo IGP que, pelo que consta, quer aproveitar a oportunidade para não funcionar mais junto ao Sine. Um local estudado é a DPPA.

___________________________________________________

Novos caminhos
O Departamento Autônomo de Estradas e Rodagem (Daer) atendeu a pedido da vereadora Josi Paz (PSB) para a instalação de tachões reflexivos nos quilometros 8 e 9 da ERS-411. Dois acidentes na rodovia estadual deixaram vítimas fatais muito recentemente; e o reforço na sinalização é importantíssimo para a comunidade de toda nossa região.

Só Boatos – Josi acompanhou a instalação e, nas redes sociais, mostrou que até ajudou a equipe do Daer com o trabalho. Mas ainda que se especule o que fará a vereadora após o fim deste mandato, tendo perdido a eleição como vice de Kadu Müller, fontes próximas garantem que ela não irá trabalhar na manutenção de estradas.

___________________________________________________

Mais três
Embora se comente nos bastidores que Zanatta já está com o primeiro escalão de seu governo quase completo, a estratégia tem sido divulgar os nomes aos poucos. As mais recentes confirmações foram para secretaria de Meio Ambiente, que será chefiada pelo biólogo José Clebio Ribeiro da Silva; pra de Indústria, Comércio e Turismo, a ser comandada pelo médico Waldir João Kleber, que já foi presidente da Unimed Vale do Caí e da ACI; e pra Procuradoria Geral, que será do advogado Alexandre Muniz de Moura.

Em frente – Pouco conhecido na comunidade, Ribeiro tem formação como biólogo, o que anima os defensores da natureza, mas também garantiu que sua secretaria não terá caráter restritivo. Do outro lado, o conhecimento de Kleber em sua passagem pela Associação Comercial deve facilitar o relacionamento com as empresas locais. Se cumprida a promessa de governo, ele tende a priorizar o atendimento às pequenas organizações que, como disse Zanatta em campanha, não estariam sendo valorizadas na atual gestão. Uma política de incentivos aos pequenos negócios será sempre bem vinda. Já Muniz, novo Procurador Geral, integrou a pasta em 2013 e 2014; e, desde outubro do ano passado, responde pela consultoria jurídica da Câmara. Experiência, tem.

___________________________________________________

Voto contra
Talvez a leitura feita por esta coluna na semana passada sobre o clima “paz e amor” na Câmara tenha sido equivocada. Nessa quinta, o que parecia ser uma sessão rápida e monótona, esquentou nos momentos finais. Os vereadores votavam a homenagem de “Cidadão Montenegrino” ao Comissário de Polícia Alisson Castilhos, que tinha tudo para ser aprovada por unanimidade, mas ganhou um voto contrário: o de Erico Velten, do PDT.

Ameaça – Talis Ferreira, o autor do projeto, aguentou no osso até que as câmeras fossem desligadas, então disparou a quem quisesse ouvir: “Eu ia fazer ele passar vergonha. Só não falei nada porque a família do Alisson tava assistindo”.

História – Erico não disse porque votou contra, mas talvez a “vergonha” que seria exposta seja bem clara. O policial homenageado participou da investigação da denúncia de assédio que uma ex-assessora fez contra o vereador.

___________________________________________________

Rapidinhas
O prefeito eleito Gustavo Zanatta confirmou presença na reunião virtual do Conselho Municipal de Meio Ambiente nesta quarta. A relação do atual governo com o Comdema gerou alguns atritos nesses últimos anos; e a construção de um bom convívio entre as partes será importante para a nova gestão.

Nessa fase de pós-eleição, Zanatta e Cristiano Braatz estão trabalhando na aproximação com conselhos e entidades. Quem acompanha de fora, fica na torcida pra que esse clima de diálogo perdure, efetivamente, a partir do ano que vem.

O Polo da Química começa a virar realidade com a construção da 1ª indústria. O projeto é liderado pelo Estado, mas tem na Prefeitura, especialmente na SMIC, uma importante ponte entre os empreendedores; algo que é destaque no atual governo. Isso não pode parar.

A direção do PDT Montenegro já se reuniu para debater a conduta e eventual expulsão de filiados que não teriam apoiado os interesses do partido durante a corrida eleitoral. São, pelo menos, três pessoas que, abertamente, não apoiaram a chapa Percival e Fachini.

Todos os livros da biblioteca pública de Montenegro já estão de volta ao prédio reformado no Centro e, agora, o governo diz que a reinauguração ocorrerá em dezembro. Mas o montenegrino já ouviu falar em tantas datas anteriores pra isso, que já é até difícil acreditar.

Em Maratá, o fechamento da fábrica da Kildare é um baque para a economia de toda a região e um desafio para a nova prefeita, Gisele Schneider. Além de ter que ampliar esforços pra atração de novas empresas, ela lidará com a queda de repasses de ICMS, impacto que, de acordo com as regras do Estado, será sentido no orçamento daqui a dois anos.

Deixe seu comentário