Pontilhão em Bom Jardim cedeu e, por pouco, não ocorreu um grave acidente

Semana passada, neste mesmo espaço, chamamos a atenção das autoridades para os riscos que estão correndo as crianças que moram nos bairros Panorama e Santo Antônio e precisam atravessar a RSC-287 para estudar. Inclusive, lembramos que elas provavelmente enfrentam maior perigo que todos aqueles que usam o transporte escolar e, por isso, deveriam também ser contempladas com o benefício. Infelizmente, estávamos enganados. A prova veio no dia seguinte, quando um dos coletivos tentava passar por um pontilhão na comunidade de Bom Jardim. Algumas tábuas cederam e, por pouco, o veículo não tombou, o que poderia ter deixado vários menores gravemente feridos, para dizer o mínimo. A foto explica bem a situação. Aliás, desde o início do ano letivo, os estudantes correm perigo. Primeiro, foram denúncias sérias sobre as condições dos ônibus contratados para a tarefa. Depois, num dia de chuva, um deles atolou e só conseguiu chegar a seu destino com o apoio de máquinas pesadas, que o guincharam. O episódio da semana passada, neste contexto, é apenas mais um alerta. Algo muito grave vai acontecer se não forem tomadas medidas urgentes em várias frentes.

Manutenção imediata
De acordo com o vereador Valdeci Alves de Castro (PSB), a ponte de Bom Jardim não é a única que está em condições precárias. Ele, inclusive, está fazendo um levantamento para ajudar o governo nas providências. Ou a Prefeitura providencia a manutenção imediata destas passagens, ou traça rotas alternativas. Paralelamente, é preciso melhorar as vias do interior. E não basta patrolar. Se não houver a colocação de saibro e brita nos trechos mais comprometidos, será simples perda de tempo. A previsão é de um inverno chuvoso e a melhor época para fazer este trabalho já passou.

Flertando com o perigo
A má conservação dos veículos contratados para fazer o transporte dos estudantes exige uma atuação imediata do governo. Desde o início do ano letivo, não param de surgir denúncias sobre ônibus e microônibus que sequer possuem todos os equipamentos de segurança exigidos pela legislação. E mesmo assim, eles continuam em circulação. A Prefeitura está providenciando uma nova licitação, que deve ser aberta no começo de maio. Até lá, parece que a única alternativa é rezar. Se houver acidentes, vai haver gente na cadeia.

Responsável
A buraqueira e o barro nas estradas, assim como a precariedade das pontes não é obra apenas do governo Kadu. É fruto de um desdém histórico com as comunidades rurais, apesar de todas as riquezas que geram. Até quando consegue um empréstimo para a compra de máquinas novas, elas não chegam. É hora de perguntar se é por incompetência do governo ou se está havendo boicote interno às suas ações. De qualquer forma, quem responde por isso é o prefeito Kadu. Nas esferas política, civil e criminal.

Inverno infernal
Com a estação das chuvas chegando e a pressão sobre o governo crescendo em virtude da proximidade das eleições, o prefeito Kadu e sua equipe terão meses difíceis pela frente. Não é só o transporte escolar que precisa de boas estradas. A colheita de citros começa nas próximas semanas, o que multiplica o tráfego de caminhões em algumas regiões da zona rural. O inverno de 2019 da Administração Municipal tem tudo para ser um “inferno”.

Devolução
Desde que a CPI do Plano de Carreira começou, a cada dia surgem novos servidores dizendo que, desde o início, sabiam que a lei seria prejudicial aos cofres públicos e à população como um todo. Curioso que aceitaram – e gastaram – com alegria os aumentos que receberam desde então. A menos, é claro, que estejam dispostos e devolver graciosamente aquilo que, na sua própria opinião, nem deveriam ter recebido. É “oportunismo” que chama, não é?

“Repórter careca” não!
O vereador Talis Ferreira (PR) anunciou que vai levar seu colega Erico Fernando Velten (PDT) ao Conselho de Ética da Câmara. A acusação: toda vez que Velten se refere a Talis,

usa a expressão “repórter careca”. A “vítima” considera o tratamento desrespeitoso. Antes que alguém diga que se trata de “falacrofobia” – aversão a pessoas desprovidas de cobertura capilar – um alerta: a briga entre os dois nada tem a ver com a falta de melenas. A raiz é política.
Tratamento – Já houve um tempo em que o regimento determinava que os vereadores se tratassem por “vossa excelência” durante as sessões, um preciosismo ultrapassado. Mas não custa nada usar os nomes ao invés de apelidos pejorativos. A regra só não vale para Neri de Mello Pena (PTB), o “Cabelo”, que cultiva com dedicação o codinome… e a aparência.

Rapidinhas
– O Sindicato dos Trabalhadores Rurais procurou a Câmara em busca de apoio para uma moção de repúdio à parte do texto da reforma da Previdência que amplia o tempo de contribuição dos produtores. Em breve, saberemos os vereadores que, de fato, apóiam o homem do campo.

– Projeto de lei do vereador Cristiano Braatz (MDB) obriga as escolas a verificarem as cadernetas de vacinação dos alunos ao encaminharmatrículas e rematrículas. Os pais que não as colocarem em dia terão seus nomes levados ao Conselho Tutelar. Por bem ou por mal, as famílias serão obrigadas a cuidar da saúde dos filhos.

– A decisão do Tribunal de Justiça saiu em 25 de março, mas como a Prefeitura ainda não foi intimada, segue cobrando as taxas de expediente no protocolo.

– De olho no voto evangélico, vereador Talis Ferreira (PR) apresenta projeto instituindo a “Marcha para Jesus”. O evento será realizado anualmente em 31 de outubro, Dia da Reforma Protestante, que já é feriado em Montenegro.

– Desencantado com a votação que fez para deputado, em 2018, o empresário Adairto da Rosa disse que sairia de Montenegro. Mas quem vê seus vídeos nas redes sociais batendo na Administração tem certeza de que Chacall disputará a Prefeitura pela terceira vez no ano que vem.

– Vereador Juarez da Silva (PTB) foi na jugular do governo ao dizer que a Prefeitura não tem moral para multar quem não limpa seus terrenos e calçadas quando ela própria não cuida de seus imóveis. É o “faz o que digo, mas não faz o que eu faço”.

O PDT e a reforma
A executiva do Partido Democrático Trabalhista de Montenegro promove um evento para seus filiados e simpatizantes no dia 29 de abril, próxima segunda-feira. A partir das 21h30, no Clube do Comércio, haverá um jantar com a presença do deputado federal Pompeo de Mattos, presidente estadual da legenda, e outros líderes estaduais e nacionais. De acordo com a organização, será uma oportunidade de conhecer o projeto de reforma da Previdência que tramita no Congresso Nacional a partir da visão do deputado Pompeo, considerado um especialista na área. A participação custa R$ 15,00.

Deixe seu comentário