Se forem confirmados os resultados da eleição deste domingo, o Conselho Tutelar de Montenegro terá uma renovação de 80%. Apenas Marcelo Claro, entre os que exercem mandato neste momento, conseguiu votos suficientes para permanecer no cargo por mais quatro anos. Não significa, porém, que faltará experiência ao grupo que assume. Entre os eleitos, estão dois veteranos na luta pelos direitos da criança e do adolescente: Leila Ternes, a diretora de Assistência Social do Município, que já foi conselheira por vários anos; e Marcos Gehlen, o Tuco, que iniciou sua trajetória na esfera pública como integrante do CT, antes de se eleger vereador, em 2008. Além disso, as estreantes Leila Oliveira (professora e diretora de escola) e Cinara Alves (assistente social) possuem currículos que justificam a confiança dos eleitores.

Desinteresse
Natural que, numa disputa em que o voto não é obrigatório, os candidatos tenham mais dificuldades de mobilizar seus eleitores. Só quem realmente possui uma ligação muito forte com os aspirantes às cinco vagas foi às urnas. Nestas horas, contam muito os círculos de amigos e as relações. Por isso que os integrantes de movimentos religiosos, católicos e evangélicos, tiveram maior êxito.

Poucas urnas
O dado mais impressionante da eleição foi a baixa participação da comunidade. Contudo, a organização do pleito podia contar com isso desde o momento em que reduziu a 20 os locais de votação na cidade e no interior. Numa disputa política, são seis vezes mais urnas, especificamente 139. No interior, com o agrupamento das seções eleitorais em apenas algumas comunidades, para participar, era necessário um deslocamento de vários quilômetros. Somada ao custo com o combustível e à perda de tempo, as comunidades rurais tiveram mais uma forte razão para deixar de exercer a cidadania neste domingo: as chuvas dos últimos dias deixaram várias estradas esburacadas e embarradas.

1.140 a menos
Dos cerca de 46.800 eleitores do município, apenas 3.320, ou seja, 7%, compareceram às urnas neste domingo. O número é pequeno e menor ainda do que o registrado em 2015. Naquele ano, houve 4.460 votantes, que correspondiam a 9,87% do total de 45.184 pessoas aptas a participar da escolha.

Boicote
Funcionou a campanha feita nas redes sociais – e no boca a boca – contra candidaturas identificadas com o presidente Jair Bolsonaro, que já fez duras críticas ao Estatuto da Criança e do Adolescente. O principal alvo era a professora Lucianita Menezes. Identificada com o PSL, ela concorria à reeleição e viu sua votação encolher de 424 para 219 apoios. Mesmo assim, foi a sexta mais votada e está na condição de primeira suplente.

Ainda sobre a eleição
* Dos 17 candidatos, mesmo número que concorreu em 2015, apenas dois são homens. As 15 mulheres, independente do desempenho, serão assediadas pelos partidos políticos para concorrer à Câmara. As legendas precisam preencher as vagas com pelo menos 30% de representantes do sexo feminino;
* Há quem aposte que, também entre os eleitos, alguns nomes estarão na urna eletrônica em 2020. É bom ter cautela. Se, num total de 17 aspirantes, nenhum deles teve votos suficientes para chegar ao Legislativo, imagine concorrendo com mais de 100. Hoje, o vereador com menos votos é Joel Kerber (581).
* De modo geral, os vereadores se envolveram pouco na disputa pelos cinco cargos no Conselho Tutelar. Considerando que alguns dos candidatos foram cabos eleitorais importantes em 2016, é possível que suas excelências precisem procurar novos apoiadores ano que vem. Nem sempre uma mão lava a outra.
* Com militância histórica no PT, legenda que representou por dois mandatos na Câmara, Marcos Gehlen, o Tuco, fez campanha sem a estrela. E concorreu com o número 77, que pertence ao Solidariedade.
* Surpreendente a queda na votação da conselheira Cíntia Tietze. Primeira colocada em 2015, com 504 indicações, neste domingo fez apenas 201, o que a deixou na oitava posição, como terceira suplente.
* Não havendo denúncias contra candidatos, o resultado do pleito deve ser homologado até o fim desta semana. Em 2015, ocorreram acusações de transporte irregular de eleitores, que não chegaram a afetar o resultado da disputa, mas levaram à aplicação de multa aos envolvidos. Espera-se que tenhamos evoluído.


 

Lideranças pedem atenção às rótulas

Concessão
O vereador Joel Kerber (Progressistas), junto com outras lideranças do partido e o secretário de Obras, Ronaldo Buss, estiveram semana passada na Secretaria Estadual de Governança e Gestão Estratégica. O objetivo foi garantir que o projeto das rótulas na RSC-287, no perímetro urbano de Montenegro, seja contemplado em caso de concessão da rodovia para a iniciativa privada. Os termos da parceria devem ser definidos até o fim do ano. Essa parece ser a única forma de ver as obras, orçadas em cerca de R$ 20 milhões, saírem do papel.

Sem diálogo – Os montenegrinos, por sinal, ficaram surpresos ao descobrir que, por lá, ninguém sabia do projeto das rótulas, elaborado pela Empresa Gaúcha de Rodovias. Embora ambos sejam entes públicos, a Secretaria e a EGR parece que não “conversam” muito entre si.


 

Água abaixo
O esforço e a boa vontade do secretário de Desenvolvimento Rural, Ari Müller, e de sua equipe, estão sempre sujeitos ao mau humor de São Pedro. Ao “abrir as torneiras” na segunda metade da semana anterior, em três dias, praticamente acabou com as melhorias nas estradas do interior que vinham sendo feitas nos últimos três meses. Enquanto não houver condições de ensaibrar e de colocar brita nessas vias, a Prefeitura seguirá “enxugando gelo”.

Estoque – A situação não é muito diferente no perímetro urbano, onde “choveram” buracos no asfalto e nas ruas pavimentadas com pedra irregular. A Secretaria de Viação e Serviços Urbanos tem muito trabalho pela frente. Espera-se que haja estoque de materiais.


 

Alta resolução
Nos próximos dias, a Câmara vai lançar um canal na internet em que os montenegrinos poderão acompanhar as sessões ao vivo, de dentro das suas casas. Para viabilizar o projeto, já foram instaladas 13 câmeras no plenário, com tecnologia de última geração. Nenhuma ruga – nem rusga – passará despercebida.


 

RAPIDINHAS
Tribunal de Contas do Estado deve receber denúncia, nos próximos dias, sobre o uso das redes sociais da Câmara pelo presidente Cristiano Braatz (MDB). Há quem veja fortes indícios de promoção pessoal em algumas postagens.

O mesmo grupo também vem printando “notícias” divulgadas no Facebook da Prefeitura. Acreditam que há “elogios” demais a Kadu Müller em algumas matérias, que podem constituir propaganda antecipada, já que ele anunciou que disputará a reeleição.

Vereador Valdeci de Castro (PSB) sugere que a Prefeitura realize “construções” no Parque Centenário que “modernizem a infraestrutura”. Não seria melhor terminar as obras nos ginásios e entregar os novos banheiros primeiro?

O tempo passa e nada de chegar à Câmara o projeto do Executivo reduzindo as diárias de viagem do prefeito Kadu. A promessa foi feita pelo chefe de gabinete, Rafael Riffel, em 27 de agosto, ao vereador Felipe Kinn da Silva (MDB).

A Feira do Livro foi prejudicada pelas chuvas, mas quem enfrentou o aguaceiro pode aproveitar uma excelente programação na Praça. Mérito da diretora da Biblioteca Pública, Ana Valdeti Martins, da sua equipe e apoiadores. O planejamento começou em março.

E por falar em Biblioteca, quando será a reinauguração do prédio da Capitão Cruz?

Deixe seu comentário