Recebi uma visita interessante. Um distinto senhor de olhar brilhante e sorriso doce aproximou-se de mim e acenou para o degrau onde eu estava sentado, na pequena escadaria de meu pátio. Não sei como ele havia chegado ali, mas, sorrindo, fui um pouco para o lado.

A presença daquele senhor era marcante e, mesmo no silencio parecia que ele me convidada a conversar com ele, o que iniciei, sem qualquer preocupação… me sentia meio estranho…

Falei sobre minhas preocupações, sobre minha família, sobre a saúde e sobre o trabalho. Falei ainda sobre meus sonhos, minhas vontades e minhas frustrações.

A senhora sentada ao meu lado somente escutava e, por vezes, franzia o cenho e sorria. Quando ela fazia isso, eu gargalhava.
Quando compartilhava com ela minhas fraquezas, percebi o quão forte eu era. Quando compartilhava minhas dúvidas, percebi o quão profundas eram minhas certezas e, como humano que sou, ao falar destas certezas, percebia o quanto estava errado. Ela me olhava carinhosamente e me incentivava a continuar com minha história.

Comentei com a criança que sentava-se ao meu lado sobre meus sonhos,quecom o olhar intrigado e malandro, daquele tipo que aparenta saber de tudo, de ter coragem para tudo e que demonstra a certeza inocente da pureza, devolvia a vontade de viver esses sonhos, afinal, toda criança sonha e os adultos se esquecem que foram crianças, e deixam de sonhar.

Aquele ser etéreo que estava ao meu lado, se misturava em mim, dando a sensação da plenitude, trazia as certezas para as dúvidas que me corroíam e a paz para as aflições do dia a dia. Ao falar com Ele, me sentia tranquilo, renovado.

Por vezes, buscamos Deus nas diferentes expressões de Suas possibilidades. O imaginamos como algo externo e inacessível, e nos esquecemos que Ele, diante de toda a plenitude que Lhe é natural, está naquele senhor que encontramos na supermercado, ou naquela senhora da fila do banco, está no vizinho que faz barulho logo cedo, ou naquele que nos presenteia com um caloroso comprimento de bom dia, ou boa tarde, ou boa noite.

Está em todas as crianças, que brincando ou não, tem a certeza de uma vida melhor, de conquistas importantes, de feitos grandiosos, seja no conseguir um bom emprego para ajudar nas contas da família, seja no desejo de ter uma família, seja no sonho de ser astronauta.

Deus está em todas as partes e essa Onipresença não é entendida pela maioria. Pedimos sinais, pedimos apoio, pedimos proteção, pedimos ajuda e imaginamos um evento metafisico, digno de cinema, onde uma aparição divina se materializaria em nossa frente, ou uma voz celestial nos traria a resposta para nossas angústias.

Meus amigos. Deus está por toda parte, em todas as pessoas, inclusive em nós. Falamos com Ele a todo instante, mas não o ouvimos, não ouvimos o senhor, não ouvimos a senhora, não ouvimos a criança, não ouvimos os pais, não ouvimos os amigos. Não ouvimos nosso coração…
Os convido a escutar!

Deixe seu comentário