Conhecimento sobre as verdades secretas do Universo nem sempre cai no nosso colo. De fato, geralmente ele se esconde dos nossos olhos. Então, se você está lendo esse texto, que lhe trará um contato, mesmo que drasticamente superficial com certos conhecimentos tratados desde o início da civilização, fique esperto.

Dizem os mais velhos textos do mundo, que a sabedoria foi inserida na nossa civilização para salvar o ser humano de uma constante retomada da vida falha. Que foi trazida a nós para nos libertar. Essa sabedoria é a verdade; a verdade de como são as coisas e, quando conhecermos a verdade, esta nos dará ferramentas para nos libertar.

O Talmud Judaico, cujos registros são como atas históricas de fatos ocorridos no mundo Judeu desde sempre, são compostos de relatos rabínicos referentes à Lei de Deus e a aplicação dela. Em uma de suas anotações, o Talmud conta-nos sobre um tal Yehoshua Ben Perachiah, isto é José, filho de Perachiah. José, nesse relato, é um Mestre, presidente do Sinédrio, e ensina um jovem Yeshu, filho de Maryam, sua sobrinha. Naqueles tempos, quando o rei Jannaeus foi entronado, contrariando a linhagem de Davi de ocupação do trono, este gerou uma rebelião muito grande entre os Fariseus, que observavam a Lei Judaica estritamente, mais do que os Saduceus que comandavam o Templo de Jerusalém e haviam se vendido ao novo rei.

Assim o rei ordenou que todos os iniciados, isto é, recém nascidos na ordem dos Fariseus, fossem mortos e, para se proteger, e proteger o jovem aprendiz Yeshu, José e Miriam fugiram para Alexandria, no Egito, onde, com o tempo, Yeshu foi iniciado nos Mistérios Egípcios. Esse José do Talmud era viúvo, e já tinha alguns filhos, entre eles Salomé e Tiago.

Esse relato que está no Talmud foi adicionado a ele quase cem anos antes da data que temos como nascimento de Jesus e, claro, não estou querendo dizer que se trata da história desta grande Luz; porém não precisei dizer, não é? Existe tanto conhecimento escondido dos olhos daqueles que os têm, mas não veem, que revelá-los seria impossível; porém, o caso aqui é mostrar que eles existem, pelo menos. E que, como diziam os Essênios no texto de sua “regra da comunidade” escrita há mais de cem anos antes do nascimento de Jesus: buscai e achareis, batei e abrir-se-vos-á.

Dizem os grandes sábios da antiguidade, que esse conhecimento só é mostrado para aqueles que já estão em um estágio avançado de compreensão e já estão aptos a começar a receber esses ensinamentos. Afinal, como já diz aquela velha frase: “Quando o discípulo está pronto, o Mestre aparece”.
Jesus deixou um conhecimento inestimável ao trazer a Brit Hadasha, isto é, a Nova Aliança, ao ser humano. Afinal, esse é o verdadeiro trabalho de um Mestre: recompor o conhecimento perdido e diluído, restaurando-o, reformando as chaves que o abrem.

Portanto, sempre que se deparar com um conhecimento que lhe leva em direção a Luz, ao amadurecimento interno, não o desperdice, ele está ali porque você está apto a recebê-lo, pois a pessoa que não tem o Espírito pronto para receber essas verdades, não as aceitam, parecem absurdas e não são capazes de compreendê-las. Todavia, você que lê esse texto, aparentemente está apto a tropeçar com essas verdades, finalmente. Parabéns.

Compartilhar

Deixe seu comentário