Radifeh Yusuf, proprietária há 13 anos de um bazar que vende material escolar, diz que desde o começo de janeiro existe procura, embora as vendas cresçam agora

Às vésperas de começarem as aulas e com as listas de materiais escolares já em mãos, pais e filhos se dirigem às compras. A tarefa pode ser árdua, principalmente porque falta menos de um mês para o início do ano letivo. Algumas famílias, contrariando a vontade das crianças e jovens, pesquisam e optam por itens escolares mais baratos, o que requer procura e comparativo entre as lojas. Neste período, mais do que nunca, comerciantes montenegrinos investem em produtos e atrativos de preços para fisgar os clientes. Esta época do ano é a mais rentável para os comerciantes que atuam neste segmento.

De cadernos com capas ilustradas às canetas e estojos com temática da Disney, os produtos despertam os gostos de diferentes faixas etárias. Basta caminhar alguns minutos pelas ruas que os itens expostos saltam aos olhos. Mesmo quem não estuda mais tem vontade de retornar à escola só pela emoção de escolher os materiais. Ou vai dizer que nunca sentiu isso?



Às compras!

De acordo com Radifeh Yusuf, proprietária há 13 anos de um bazar que vende material escolar, desde o começo de janeiro as procuras começam. “Muitas pessoas fazem as compras antes de saírem de férias. Mas, realmente, nas últimas semanas que antecedem a volta às aulas, as vendas são mais intensas”, explica.
Ela diz que alguns consumidores optam por valores mais em conta na hora de adquirir os artigos solicitados pela escola, outros, porém, não abrem mão da qualidade. “No lápis de cor, por exemplo, sai muito a Faber-Castell e a Staedtler, que é alemã. As pessoas confiam e já conhecem a marca, por isso preferem levar”, afirma.
Alguns itens da lista de materiais escolares que mais saem, segundo ela, são cadernos, estojos, pacotes de folhas de ofício, pastas e outros itens de papelaria, como borrachas, lápis, apontadores, canetinhas, canetas, colas, réguas e tesouras.

Novidades
A empresária Radifeh Yusuf diz que os pais costumam negociar com os filhos na hora de escolher os produtos. “Como alguns itens têm o valor mais elevado e são os que, geralmente, as crianças mais pedem, como os cadernos temáticos, os pais propõem uma troca. Os pequenos devem priorizar uma mercadoria que mais gostariam para levar e as outras serão os mais baratos”, destaca.

Claro que decidir é sempre muito difícil. São muitas opções. Os cadernos trazem capas ilustradas de séries e desenhos animados, canetas e estojos com temática Disney, afora algumas novidades. Neste ano, até giz de cera chegam com diversas adaptações às prateleiras das lojas. “Têm novas opções, principalmente para este tipo de lápis que é mais sensível. Sempre mostramos para os clientes, pois muitos desconhecem. As inovações têm o propósito de durabilidade, para que, quando caem no chão, não quebrem, por exemplo. Por isso, as marcas investiram em giz de cera revestido de madeira ou plástico e ainda em formato retangular, para não rolar quando estiver na mesa da criança”, salienta.

Nos cadernos, a moda do ano são as capas de emoji-carinhas muito utilizadas no Facebook e WhatsSap-, e para as idades mais baixas, principalmente entre as meninas, as ilustradas com Shopkins – baseado em um brinquedo de borracha colecionável. “Moana também é bem atual, com a popularidade do desenho da Disney. Cadernos da Capricho, apesar de serem mais caros, são os mais comprados pelas meninas. E entre os meninos, o tema que mais agrada é o de séries, como Star Wars, e de games”, informa Radifeh.

Mochilas
Alguns estudantes passam mais tempo na escola e em atividades extracurriculares do que propriamente em casa. Por isso, a mochila é um importante item para carregar tudo o que é necessário.
Elas também são encantadoras e podem ter rodinhas para facilitar o deslocamento e não machucar quem as carrega. As mochilas 3D, em que o personagem se projeta, são apenas uma das possibilidades de escolha do produto que compõem a lista escolar. Porém, têm o preço um pouco mais salgado, podendo custar mais de R$ 300,00. Estampas variadas costumam atrair os estudantes, porém, os preços despertam também a atenção dos pais, que procuram por economia e descontos. “As pessoas procuram as mercadorias, orçam e compram alguns itens. Aos poucos, após algumas pesquisas, os pais vão adquirindo todos os itens da lista de material escolar”, conclui Radifeh.

Compartilhar

Deixe seu comentário