Com as altas temperaturas do Verão, a hidratação torna-se ainda mais importante devido à perda de líquido sofrida pela população nos dias mais quentes do ano. A quantidade ideal de água a ser ingerida diariamente depende de vários fatores como a idade e o peso, a atividade física praticada, o clima e a temperatura do ambiente. Para alguns, a ingestão de dois litros de água por dia pode ser suficiente. Outros precisarão de três, quatro litros ou mais, como no caso dos esportistas.

A atenção deve ser especial às crianças, gestantes, mães em amamentação e idosos, que fazem parte de grupos com mais risco de desidratação. “As crianças pequenas têm mais risco porque possuem o corpo menor, menos reserva de líquidos e, muitas vezes, precisam ser estimuladas para o consumo de água”, explica a nutricionista Jessica Lucca.

“As lactantes, que já sofrem com perda de líquidos comuns, ainda disponibilizam uma grande quantidade de líquido para a produção do leite materno. As gestantes, por usa vez, têm uma recomendação de ingestão diária ainda maior, necessária para o desenvolvimento do feto. Já no grupo dos idosos, as alterações fisiológicas do envelhecimento reduzem a sensação de sede, o que pode levar a reduzir ou esquecer o consumo de água adequado.”

Os atletas e praticantes de exercício físico de alta intensidade representam outra parcela da população que merece atenção devido ao suor excessivo. Nesse caso, não se perde apenas água, mas também minerais importantes como o sódio e potássio.

Para manter a hidratação, o balanço diário de água é controlado por sofisticados sensores localizados no cérebro e em diferentes partes do corpo. Esses sensores provocam sede e impulsionam ao consumir líquidos sempre que a ingestão de água não for suficiente.

Assim, é fundamental atentar-se para os primeiros sinais de sede e satisfazer a necessidade de água sinalizada pelo organismo. Ainda, não é saudável substituir a água por alimentos ultraprocessados, como refrigerantes e bebidas açucaradas. Principalmente no caso das crianças. A água é um alimento único e necessário ao corpo humano.

A dona de casa Andréia Silva de Souza, 37, conta que durante os dias mais quentes, como os da semana que passou, sempre cuida para que os filhos Murilo Rafael de Souza Dias, 7, e Camila Giovana de Souza Dias, 10, não se desidratem. “Fico lembrando eles sobre a importância de tomar água”, disse Andréia. “Faço sucos de frutas que, além de hidratar, tem fibras que também são importantes pra flora intestinal que com esse calor podem desencadear uma virose intestinal”, completou Andréia.

Água na medida certa
De acordo com a nutricionista, em geral, a recomendação de água é de 30 a 35ml para cada quilo de peso. Por exemplo, um indivíduo que pesa 60kg deveria ingerir em torno de 2,100 litros (60×35= 2.100ml). Entretanto, esta quantidade não precisa ser apenas de água pura, pois os alimentos e líquidos também contêm água e devem ser considerados.

Essa recomendação também pode aumentar em determinadas situações, quando há perdas excessivas de líquidos, em casos de vômitos, diarreias, sudorese intensa, entre outros.

Frutas ajudam
As frutas frescas em geral possuem uma boa quantidade de água na sua composição e são indicadas. A melancia, o melão e o abacaxi são ótimas opções. Também é indicado o consumo de água saborizada, água de coco, chás gelados, suco de limão e outros, sempre naturais e sem açúcar.

Em casos onde já há desidratação, apenas a água não é suficiente. É necessário repor, juntamente com a água, eletrólitos e glicose. Uma boa opção são as bebidas esportivas. Em último caso, também pode-se utilizar o soro caseiro.

Deixe seu comentário