Crédito: banco de imagens

Ele é bastante mal falado e, por vezes, leva a culpa por problemas estomacais. Por outro lado, é quase irresistível após o almoço e dependendo da situação ajuda a disfarçar o mau hálito. O chiclete não é um vilão, mas o uso exagerado deve ser evitado.

Já há estudos que confirmam que mascar chiclete pode auxiliar na concentração e a manter baixos e estáveis os níveis de
estresse. Porém, sem exageros.

Em pessoas com boa saúde e sem problemas estomacais, mascar chiclete não é ruim. Mas – como em tudo – o excesso não é bom. Mascar chiclete o dia todo força, inclusive a articulação da boca. Dois por dia é um limite aceitável.

Mascar chiclete não causa problemas estomacais como gastrite ou úlcera. Mas pode ser maléfico para aquelas pessoas que já sofrem do problema ou tem predisposição a ele. O ato de mascar pode até ser positivo ao sistema digestivo por estimular a salivação.

Se o seu objetivo ao mascar chicletes é enganar a fome e auxiliar na dieta, repense. Se por um lado o hábito pode auxiliar aqueles mais ansiosos e que estão sempre beliscando, por outro, o ato de mascar pode estimular o apetite. É que o mastigar faz com que o estômago espere receber alimento.

Por aumentar a salivação e diminuir a acidez dentro da boca, barrando a multiplicação das bactérias, o chiclete contribui para um
hálito mais agradável. Mas, os com açúcar fazem mal aos dentes.

Na infância você ouviu dos seus pais que engolir o chiclete é perigoso? Foi um temor desnecessário. A goma não é absorvida pelo organismo e
será expelida. Mas, é contraindicado que crianças menores de dois anos engulam a guloseima. Aliás, elas sequer deveriam saboreá-la.

Deixe seu comentário