Foto: Banco de imagens

Como está sua saúde mental? Se você ficou surpreso com a pergunta, tudo bem. É que são raras as pessoas que param para pensar em como está sua mente, seus sentimentos e relacionamentos. E é por isso que a campanha Janeiro Branco foi criada, no objetivo de promover a conscientização e valorização da Saúde Mental, com o objetivo de chamar a atenção das pessoas para o assunto.

Jaqueline Porto, coordenadora do Caps Montenegro. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

A psicóloga e coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial (Caps) de Montenegro, Jaqueline Porto, lembra que a população ainda associa a saúde mental a problemas mentais graves, mas que ela é muito mais ampla e está relacionada às escolhas saudáveis de cada um, envolvendo um cuidado consigo mesmo e com o outro, integrando relacionamentos saudáveis com familiares, amigos e colegas de trabalho, a realização profissional, a inclusão de atividades de lazer, a busca pelos objetivos pessoais e a conscientização dos direitos e deveres de si mesmo e dos outros. “Os profissionais da saúde consideram esta campanha relevante, porque ela trabalha a integralidade da saúde dos sujeitos, envolvendo principalmente a prevenção através de cuidados da vida diária, podendo evitar situações de saúde que vem crescendo na nossa sociedade, como a depressão, a ansiedade, o suicídio, o isolamento social e a violência”, diz Jaqueline.

Paulina Pölking, psicóloga. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

A psicóloga Paulina Pölking faz uma analogia com as questões físicas de saúde para explicar as mentais. “Se você sabe que é alérgico a determinado alimento, não o ingere para evitar uma crise. Assim é com o comportamento e com os convívios. Compreender quais comportamentos fazem bem para a nossa saúde mental, o que traz prazer e o que te faz mal”, detalha Paulina. E, sabendo identificar os problemas, aprender a lidar com ele. “Às vezes a gente precisa de uma parada, um momento para se situar, e se questionar. ‘Eu estou satisfeito com essa situação?’ É tomar consciência de si e depois reverter o que está incomodando”, complementa Paulina Pölking.

Como promover a saúde mental?
Na prática se promove a saúde mental através de atividades que incentivem a valorização da vida, a autoestima e o respeito com os outros. Atividades grupais focadas na saúde emocional, práticas de exercícios físicos e até mesmo a alimentação saudável são fatores que fazem diferença.
Colocar no cotidiano atividade de convivência social, e de lazer, ações humanizadas com a integração entre as pessoas e, de um modo geral, promover o autoconhecimento são práticas que colaboram. Além disso, é sempre importante buscar por ajuda profissional.

Campanha começou em Minas Gerais. Foto: reprodução internet

Atividades marcam a campanha em Montenegro
O Caps está desenvolvendo dinâmicas de grupo com os pacientes alusivo ao Janeiro Branco e os próprios usuários estão elaborando trabalhos manuais para expor nos murais do serviço. Já a Unimed Vale do Caí irá promover a palestra “Vida Mais Leve – Conversando sobre a Saúde da Mente”. A atividade será ministrada pela psicóloga Paulina Pölking e será realizada em dois dias. Na segunda-feira, 27, às 13h30, no Anfiteatro do Hospital Unimed Vale do Caí (HUVC) ela será voltada para colaboradores e comunidade. Já no 28, na Sala de Reuniões da Operadora, será direcionada exclusivamente aos colaboradores da empresa.

Em alerta!
– Desmotivação para atividades antes realizadas com prazer;
– Isolamento social;
– Irritação;
– Agressividade;
– Abuso de álcool e outras drogas.

5 objetivos da campanha Janeiro Branco
1 Fazer do mês de janeiro o marco temporal estratégico para que todas as pessoas e instituições sociais do mundo reflitam, debatam, conheçam, planejem e efetivem ações em prol da Saúde Mental e do combate ao adoecimento emocional dos indivíduos e das próprias instituições;
2 Chamar a atenção de todos para os temas da Saúde Mental e da Saúde Emocional nas vidas das pessoas;
3 Aproveitar a simbologia do início de todo ano para incentivar as pessoas a pensarem a respeito das suas vidas, dos seus relacionamentos e do que andam fazendo para investirem e garantirem Saúde Mental e Saúde Emocional em suas vidas e nas vidas de todos ao seu redor;
4 Chamar a atenção das mídias e das instituições sociais, públicas e privadas, para a importância da promoção da Saúde Mental e do combate ao adoecimento emocional dos indivíduos;
5 Contribuir, decisivamente, para a construção, o fortalecimento e a disseminação de uma “cultura da Saúde Mental” que favoreça, estimule e garanta a efetiva elaboração de políticas públicas em benefício da Saúde Mental dos indivíduos e das instituições.

Deixe seu comentário