Serviço Hospitalar Integrado é desenvolvido na instituição desde 2012

A medicina hospitalar é um modelo médico assistencial que presta atendimento integral ao paciente durante toda a internação, ou seja, um atendimento de qualidade que leva a satisfação do paciente com menor custo para a Instituição. O Hospital Montenegro foi uma das primeiras instituições de saúde a oferecer o atendimento no Brasil. O serviço é prestado desde 5 de novembro de 2012.

Eliz Vaccari, Felipe Pires, Aline Crestani, Lucas Ries, Fabrício Fonseca e João Paulo Baptista

Atualmente são seis equipes multidisciplinares responsáveis atuando todos os dias da semana. A medida gera mais segurança e satisfação das pessoas internadas e resulta na diminuição na taxa de reinternação. O método no HM recebeu o nome de Serviço Hospitalar Integrado. Em cada instituição na qual é empregado é único, pois leva em conta as suas especificidades.

O modelo surgiu como forma de aperfeiçoar a assistência médica prestada até então, tornando o atendimento mais homogêneo e contínuo. A ideia é todo o paciente ter um médico de referência. De segunda a sexta, a pessoa é atendida pelo mesmo profissional e cada uma cuida, no máximo, de 12 internados.

A relação próxima entre os pacientes, os familiares e os médicos é visível, ressalta Scheile. “A enfermagem, a fisioterapia, a nutrição também são as mesmas equipes que atendem. Trabalhamos muito essa questão de vínculo. Quanto mais o paciente se sente vinculado ao serviço, mais confia”, destaca a enfermeira responsável técnica, Scheile Ruppenthal.

O índice de satisfação do público alvo se aproxima dos 90%. “É um trabalho que se implantou de uma forma bem horizontal, no qual o médico não é o centro, mas o paciente. Então, fomos agregando todos os demais profissionais das equipes multidisciplinares para fazer um plano de trabalho”, comenta.

Eliz Vaccari, Felipe Pires, Aline Crestani, Lucas Ries, Fabrício Fonseca e João Paulo Baptista

Os médicos também participam de atividades extra-assistenciais, como comissões internas, treinamentos e avaliação dos dados. “Este médico é responsável por todo o cuidado, chamar as outras especialidades, conversas com as famílias para dar notícias, solicitar exames. Não é fragmentado, o cuidado é contínuo”, explica o diretor técnico da instituição, Jean Ernandorena. Ele diz que o fato de o paciente ter proximidade do médico, por saber quem irá vê-lo, ajuda a qualificar o atendimento.

Também há escalas aos sábados e domingos, nos quais eles colocam em prática os planos realizados durante a semana. O diretor administrativo do HM, Carlos Batista, mostra orgulho do trabalho desempenhado na instituição. “Este serviço está sendo vendido no país inteiro e ele, efetivamente, teve início, o seu pioneirismo, aqui no Hospital Montenegro”, ressalta.

Deixe seu comentário