Montenegro detectou, essa semana, o 35º foco de Aedes aegypti no município. Já são 11 bairros com focos detectados pelos agentes de combates a endemias, da Vigilância Sanitária. O Centro é o local com o maior número de casos (15).

O mosquito é transmissor de doenças como dengue, Zika Vírus e chikungunya. A melhor forma de combater o mosquito e evitar a transmissão dessas doenças é a prevenção à formação de larvas. Em caso de dúvidas, ou mesmo para realizar denúncias de locais com possíveis criadouros do Aedes, a população pode entrar em contato com a Vigilância em Saúde pelo telefone 3632-1113.

O calor aumenta a circulação e a atividade do mosquito. A reprodução acontece em água parada (limpa ou suja), onde os ovos são depositados.
Até o momento, oito casos de dengue contraídos dentro do RS (chamados autóctones) já foram confirmados: Capão da Canoas, Cruz Alta, Ijuí, Novo Hamburgo (2 casos), Porto Alegre, Rio Grande e Santo Ângelo.

Outros 12 casos confirmados são considerados importados, quando a transmissão ocorre fora do Estado. No mesmo período do ano passado, haviam sido confirmados 13 casos autóctones e 23 importados.

Campanha estadual contra o Aedes
A Secretaria Estadual da Saúde (SES) lançou uma campanha de mídia de prevenção contra a dengue, zika e chikungunya. O objetivo é sensibilizar a população quanto à prevenção e o combate ao aedes aegypti. Neste ano, oito casos de dengue já foram contraídos dentro do Rio Grande do Sul. E 377 cidades são consideradas infestadas pelo mosquito, entre elas, nove são no Vale do Caí, de acordo com o último Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa), realizado entre outubro e dezembro de 2019.

O Estado tem 99 cidades em situação de alerta ou de alto risco de transmissão da dengue, chikungunya e zika. Em 10 delas a situação é de maior atenção – Bom Progresso (Norte), Jaboticaba (Norte), São José das Missões (Norte), Quinze de Novembro (Missões), Alecrim (Missões), Alegria (Missões), Salto do Jacuí (Missões), São Leopoldo (Metropolitana), São Nicolau (Missões) e Tuparendi (Missões).

A campanha tem por objetivo reforçar a mensagem de que a prevenção é uma responsabilidade de todos, principalmente da população. O lançamento da estratégia nesta época busca mobilizar as ações para o período do verão, época de maior ocorrência dos casos. O material reforça o alerta de que o aedes pode matar.

Casos por bairro
Centro – 15
Rui Barbosa – 04
Timbaúva – 04
Centenário – 02
Estação – 02
Ferroviário – 02
Santo Antônio – 02
Santa Rita – 01
São João – 01
São Paulo – 01
Senai – 01

Como se prevenir
– Tampar caixas d’água, tonéis e latões;
– Guardar garrafas vazias viradas para baixo;
– Guardar pneus sob abrigos;
– Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia;
– Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises;
– Manter lixeiras fechadas e piscinas tratadas o ano inteiro.

Deixe seu comentário