A mudança passa a valer a partir do dia 14 de novembro, com algumas alterações na prestação de serviços via internet . Foto: reprodução internet

Para suprir a necessidade de uma população cada vez mais conectada, os serviços das mais diferentes áreas tendem a passar por adaptações. Buscando acompanhar essa nova realidade, a partir do dia 14 de novembro, o Conselho Federal de Psicologia (CFP), irá ampliar o atendimento psicológico online.

Conforme a resolução do CFP sobre o atendimento psicológico online, a novidade tem como objetivo aumentar as possibilidades de oferta de serviços do setor mediados por Tecnologias da informação e comunicação (TICs). Dessa forma, a nova norma pretende manter as exigências previstas na profissão e vinculadas ao cadastro individual e orientação do profissional junto ao Conselho Regional de Psicologia para eventuais apurações em caso de prestação incorretas de serviço.

Essa dinâmica que a internet oferece poderá facilitar tanto a vida do paciente quanto a do terapeuta por diversas razões. Adepta do atendimento online, a psicóloga Adriana Bandeira revela por quais motivos os serviços lhe agradam. “Este tipo de atendimento é importante nos casos em que o paciente ou terapeuta precisa ausentar-se do lugar combinado”, disse a psicóloga, que ainda salientou como é eficiente esse suporte interativo quando se trata da prevenção contra o suicídio, entre outras situações.

A decisão de reformular a resolução anterior foi tomada na Assembleia de Políticas, da Administração e das Finanças (Apaf) de dezembro de 2017, a partir da demanda da categoria. Um dos pontos alterados pela nova norma diz respeito ao número de atendimentos permitidos, que passa a ser ilimitado. Para a psicóloga Maria Paulina Pölking, a mudança tem vários aspectos importantes que possibilitam uma nova forma de atuação. “Tenho notado que dentro da própria formação essa interatividade já é explorada para que, dessa forma, os novos profissionais saibam lidar com essas tendências que surgem da sociedade”, disse a psicóloga.

Um dos desafios desse novo nicho de mercado é a confiabilidade dos serviços oferecidos, o que exige cuidado redobrado dos pacientes na hora de contratar um profissional da área. “É de extrema relevância certificar-se da formação e registro do psicólogo ou psicóloga, além disso, é preciso conhecer bem aquilo que está sendo contratado”, orienta Paulina. “A tecnologia está presente em nossas vidas para nos auxiliar, mas é preciso cautela.”

Embora o atendimento online seja uma ferramenta importante para a atuação dos profissionais da psicologia na nova era da informação, Adriana salienta o contato pessoal como parte do tratamento. “Minha opinião que essa é uma possibilidade importante, que viabiliza a continuidade da fala, mas que não substitui os primeiros encontros presenciais”, observou a psicóloga.

Deixe seu comentário