O objeto estava dentro do sanduiche que foi consumido pelo rapaz que não percebeu o item no alimento. Foto: reprodução internet

Um acontecimento curioso chamou atenção da imprensa internacional. Um jovem norte-americano de 18 anos ficou em estado crítico, à beira da morte, após engolir um palito de dente que estava em um sanduíche. O caso foi documentado e divulgado semana passada pelo periódico médico The New England Journal of Medicine, uma das publicações científicas mais prestigiadas na área da medicina.

De acordo com as informações, o jovem, que não teve o nome divulgado, nem se deu conta de que havia engolido o item de 3 centímetros e só começou a buscar ajuda depois de sentir alguns sintomas como febre, dor abdominal e hemorragia retal.

Durante três semanas, os médicos não conseguiam decifrar os sintomas para chegar a um diagnóstico e o rapaz, que é atleta, continuou passando mal. A agonia durou até que um médico do Massachusetts General Hospital, em Boston (Estados Unidos), pediu para que ele fosse submetido a uma colonoscopia.

Com febre de 40°C, confusão mental e respiração acelerada, o jovem foi submetido a vários exames, incluindo o solicitado, que (finalmente) identificou o motivo do problema: o corpo estranho.

O exame mostrou que o palito havia passado pela maior parte do sistema digestivo sem causar nenhum dano, porém, perfurou uma artéria ao chegar na parede gastrointestinal – o que permitiu que bactérias invadissem a corrente sanguínea, além de provocar a hemorragia.

Após passar por uma cirurgia, o jovem teve o palito de dente removido do corpo, o que provocou uma hemorragia imediata na artéria afetada. Apesar dos danos, os médicos não interromperam o procedimento e realizaram outras operações para reparar a artéria e o intestino do rapaz, que já estava apresentando sinais de sepse (uma infecção generalizada e fatal).

Os danos causados pelo palito foram tão graves, que foi preciso remover cerca de 3 centímetros do seguimento da artéria, remover uma veia da coxa e então encaixá-la no local afetado. Para evitar que o inchaço interrompesse a circulação sanguínea na perna, os cirurgiões ainda fizeram incisões na panturrilha do rapaz, a fim de aliviar a pressão na área.

Uma semana após as operações, o atleta pôde deixar o hospital e passou a fazer fisioterapia para a recuperação completa. Muito preocupado que o incidente pudesse prejudicar seu rendimento nos esportes, ele conseguiu participar de seu primeiro jogo profissional cerca de sete meses depois da internação.

Deixe seu comentário