Foto: reprodução internet

O engasgo de bebês é uma situação assustadora para os pais. Isso ocorre quando leite materno ou outro líquido, como suco, se tornam um corpo estranho no sistema respiratório da criança. A família do pequeno Nathan de Abreu Weschfelder, de 10 meses na época, viveu este drama recentemente.
Ele teve o problema após mamar, sendo socorrido por familiares e vizinhos. O caso ocorreu na casa onde moram, no bairro Panorama, em Montenegro. Um morador chamou a Brigada Militar pelo telefone 190. A viatura da Patrulha Comercial, composta pelos soldados Carin Daniele Gomes e Dieferson Ferreira da Silva, foi deslocada até o local para prestar socorro.

Em Montenegro, policiais militares ajudaram a atender o pequeno Nathan

Os policiais levaram o menino, acompanhado da mãe dele Tatiele Conceição de Abreu, 21 anos, para atendimento no Hospital Montenegro (HM). No caminho, a soldado Carin colocou realizou a prática técnica da Manobra de Heimlich, método utilizado para desobstruir as vias respiratórias trancadas por corpo estranho. Duas horas depois de chegar à instituição de saúde, o bebê recebeu alta.

O engasgamento também ocorre em crianças maiores, sendo mais comum nas de até 4 anos pelo fato de terem as vias aéreas superiores (formadas pelo nariz, cavidade nasal, faringe, laringe e parte superior da traqueia) pequenas e também porque, nesse período da infância, é mais acentuado o hábito de colocar objetos na boca.

Há dois tipos de engasgo: o parcial, quando ainda passa um pouco de ar nos pulmões, mas não a quantidade ideal. A criança pode tossir e esboçar sons. E o total, quando as vias respiratórias estão completamente obstruídas e, com isso, a criança tem falta de ar importante, não consegue falar, nem tossir e costuma ficar com os lábios e até com as unhas arroxeadas. Nesse caso, enquanto são feitos os primeiros socorros, é preciso chamar a emergência pelo telefone 192 do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ou 193 do Corpo de Bombeiros.

No caso de bebês, o pediatra Sergio Pedro Seibel destaca alguns cuidados a serem tomados para evitar o sufocamento com leite. Deixar a criança arrotar após a mamada, deitá-la de lado com a cabeceira mais elevada estão entre eles. Também é importante manter vigilância constante. Além disso, apesar de ser uma situação extremamente tensa, é necessário tentar manter a calma para prestar o atendimento de forma correta.

Entrevista: pediatra Sergio Seibel
Nesta entrevista, o médico pediatra Sergio Pedro Seibel fala sobre como socorrer os bebês e dá dicas de como proceder para evitar o problema. Confira.
Jornal Ibiá – Quais cuidados os pais devem tomar para evitar o engasgamento dos filhos após a amamentação?
Sergio Seibel – Os bebês são diferentes. Alguns jamais se engasgam. Outros, desde sempre. Cada um, cada um. Alguns cuidados podem ser tomados, tipo, sempre deixar arrotar após mamadas, deitar de lado e com a cabeceira (travesseiro) um pouco mais elevada.

JI – A criança pode ser deitada quanto tempo após a amamentação?
Seibel – Em seguida, logo após a mamada e, se possível, que arrote. Mas sempre de lado e observando.

JI – É possível apontar quais as causas deste problema?
Seibel – Não há uma causa específica. São várias, que a partir do diagnóstico diferencial, e com o passar das semanas, os tratamentos passam a dar resultado.

Seibel – Até que idade esta deve ser uma preocupação? É fácil notar quando a criança está com este problema? Quais características físicas apontam isso?
Seibel – Quanto menor, maior a vigilância sobre os bebês e maior o risco. Mas, a partir do 6º mês, vão desaparecendo os sintomas. O que chama a atenção dos pais e cuidadores são os vômitos repetidos, as cólicas, o engasgo.

JI – No caso de incidentes, como os pais devem proceder?
Seibel – O ideal é deitar a criança de lado, abrir a boca e com o dedo abaixar a língua, para que saia o vômito, para que o bebê aprenda a se defender do engasgo. Nunca sacudir a criança, na posição vertical.

JI – Quais problemas de saúde podem causar nos pacientes se não socorridos a tempo e da forma correta?
Seibel – O óbito é, extremamente, raro. Um problema que poderá ocorrer, também muito raro, é uma pneumonia de aspiração, quando alguma porção de leite entra nos pulmões. Isso merece internação hospitalar.
O ideal é os pais observarem, atentamente, como seu bebê mama e terem os cuidados acima descritos. Além de deixar que o bebê aprenda a se livrar do engasgo. Quando ele mama muito rápido, isso ocorre mais frequente. Na real, o bebê e seus pais têm que aprender um com os outros. Simples assim.

Deixe seu comentário