A intoxicação alimentar está entre os problemas recorrentes nesse período do ano. Foto: reprodução internet

Final de ano é época de confraternização e reunião entre família e amigos, o que deixa o clima propício para os exageros na hora de comer e consumir bebidas alcoólicas. Contudo, os abusos cometidos nas ceias podem resultar em graves problemas de saúde, entre eles a intoxicação alimentar é o mais comum.

O Natal já passou, mas ainda falta comemorar a virada de ano que também chega regada de muitos exageros. A nutricionista Karina Silva dos Santos, explica que os excessos, independente do período do ano, podem ter sérias consequências, uma vez que os pratos típicos dessas festas são ricos em gorduras e açúcares e, por isso, levam ao maior consumo de calorias. “Comer demais pode sobrecarregar o sistema digestivo causando má digestão, além de provocar desconfortos como refluxo e dores abdominais”, disse.

“Uma das consequências mais comum é a intoxicação alimentar, que não acontece apenas por conta da ingestão de alimentos contaminados. Comer em excesso, especialmente pratos com muita gordura e açúcar, também pode desencadear diarreia e vômito”, destaca a especialista.

Apesar das tentações, a nutricionista revela que o segredo está na moderação. Segundo ela, o ideal é começar o prato escolhendo saladas e verduras, depois acrescentar porções pequenas dos demais alimentos. Além disso, é preciso comer sem pressa e mastigar bem, o que permite que o corpo reconheça melhor os sinais de plenitude e consuma menos calorias. Outro passo importante é a escolha de temperos naturais e redução da quantidade de sol e industrializados na preparação da ceia.

“Invista em molhos à base de iogurte, ricota, pesto, tomate ou vinagrete. Manteiga, margarina e óleo de soja podem ser substituídos por sucos de laranja, marinadas, óleo de coco ou azeite. A maionese do salpicão pode ser substituída por maionese de tofu, maionese de abacate ou também iogurte. Em sobremesas podemos diminuir a quantidade de açúcares e investir nas frutas”, orienta Karina. “Os destaques da safra de dezembro são abacaxi, melancia, melão, manga e pêssego.”

Com uma pouco de moderação, é possível curtir o período de festas de fim de ano sem grandes dores de cabeça e arrependimento posteriores. Para tanto, a especialista ressalta a importância da conexão com o próprio no intuito de entender quando ele está satisfeito durante as refeições. “O mais importante é se alimentar com uma dieta equilibrada durante o ano, sem radicalismos e sem grandes sacrifícios, mas apenas respeitando seus limites e tratando bem do seu corpo”, completa Karina.

Entre os pratos que fazem parte das ceias de Natal e Réveillon, alguns merecem atenção especial na hora do consumo, como bolos, doces, pães, frituras e carnes gordurosas, já que possuem baixo valor nutricional e, devido à alta quantidade de carboidratos simples e gorduras saturadas, favorecem o ganho de peso e não proporcionam saciedade.

Portanto, tenha moderação com panetones, rabanadas fritas, sobremesas natalinas com grande quantidade de açúcar. Atenção também com carnes como pele de frango, de peru ou com porco, que são mais gordurosas e necessitam de controle.

Álcool e hidratação combinam
Além dos excessos nas comidas, outro grande vilão nesse período do ano é o consumo desenfreado de bebidas alcoólicas. No calor das comemorações, muitos acabam esquecendo-se de tomar água e a famosa ressaca surge acompanhada daquela terrível dor de cabeça. De acordo com a nutricionista, hidratação é a palavra chave para quem gosta de beber.

Karina Silva dos Santos,

“Vocês já devem ter notado que vamos mais ao banheiro quando bebemos, é preciso repor essa água perdida, para não ter a famosa ressaca. Alternar a bebida alcoólica com água sempre é a melhor dica. Consuma bastante água logo que acordar. Isso ajuda a eliminar as toxinas restantes do excesso do álcool contidas no seu organismo, mas o principal objetivo da hidratação após uma noite de bebedeira é evitar uma desidratação”, orienta a especialista.

Outra dica para eliminar as toxinas do álcool é consumir vegetais escuros no dia seguinte, que pode ser através de sucos ou saladas. Isso irá ajudar a reduzir e reparar os efeitos da ressaca. O repolho cru, por exemplo, além de ajudar o fígado, melhora os sintomas da dor de cabeça. Os chás também podem ajudar, principalmente aqueles feitos com ervas, como o boldo e a alcachofra. “O boldo possui a boldina, que é uma substância ativa, e a alcachofra, possui a cinarina. Todas essas duas substâncias são hepatoprotetoras, ou seja, protegem as células do fígado, desintoxicam e ajudam a bile a funcionar melhor”, explica Karina.

É hora de desintoxicar
Para quem comete excessos, os sucos verdes podem ser uma boa alternativa para ajudar no desdejum. Conhecidos também como sucos desintoxicantes, essas bebidas podem ser uma forma natural e saudável de eliminar as impurezas do organismo. Cada suco tem sua propriedade e benefício, que varia de acordo com os ingredientes escolhidos.

A verdadeira característica do “detox” é a concentração de nutrientes, o que melhora o sistema imunológico, já que são ricos em antioxidantes e agem ajudando o corpo a eliminar toxinas (substâncias tóxicas presentes no organismo). Confira algumas receitas que podem ajudar na hora de desintoxicar o organismo após as comemorações:

Suco de couve
Ingredientes: 1 folha de couve, 1/2 limão, 1 lasquinha de gengibre, hortelã e água.
Modo de preparo: basta bater no liquidificador e tomar em seguida. Para hipertensos lembrar o que o gengibre pode elevar a pressão.

Fotos: reprodução internet

Suco detox de abacaxi
Ingredientes: 4 folhas de hortelã, 2 pedaços de abacaxi, 1/2 folha de couve e 200 ml de água.
Modo de preparo: Liquidifique a porção e beba imediatamente.

Suco revigorante
Ingredientes: 1/2 beterraba pequena, 1/2 cenoura pequena, 1/2 maçã pequena, 1 folha hortelã e 1 lasquinha de gengibre com água ou água de coco.
Modo de Preparo: juntar todos os ingredientes e bater no liquidificar.

Deixe seu comentário