Foto: Reprodução Internet

O mês de atenção a prevenção do câncer de mama chegou. O Outubro Rosa é um movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama. Criado no início da década de 90, a data é celebrada atualmente com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença. Durante o mês de outubro, ocorrem debates e apresentações sobre o tema em âmbito nacional, de forma que as informações sobre a detecção precoce do câncer de mama se propaguem para mais pessoas.

O câncer de mama é causado pela multiplicação desordenada de células da mama, que formam um tumor. Por ter vários tipos deste câncer, a doença pode evoluir de formas diferentes. Alguns se desenvolvem mais lentamente, enquanto outros são mais agressivos.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer, no mundo o de mama é o tipo de câncer mais comum entre as mulheres. No Brasil, em 2018, 29,5% dos casos de câncer em mulheres eram de mama. O Rio Grande do Sul foi o segundo estado brasileiro com maior incidência de mulheres com câncer de mama, 61,77 a cada 100 mil habitantes, atrás apenas deRio de Janeiro, que teve 69,78 casos a cada 100 mil habitantes.

Quanto mais cedo, mais chance de cura
O câncer de mama pode ser percebido nas fases iniciais por sintomas como um nódulo fixo e indolor no seio (normalmente a primeira manifestação da doença, 90% dos casos ele está presente e é percebido pela própria mulher), pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com o aspecto de uma casca de laranja. Alterações no mamilo, nódulos nas axilas ou no pescoço e saída espontânea de líquido anormal pelos mamilos também são sintomas de que é preciso investigar.

Maria Paulina Pölking é coordenadora de um grupo de apoio a mulheres com câncer de mama. Foto: Arquivo Jornal Ibiá

De acordo com a psicóloga Paulina Pölking, coordenadora do grupo Amigas do Peito – promovido pela Unimed Vale do Caí para reunir mulheres que já tiveram o diagnóstico de câncer de mama e estão ou estiveram em tratamento – a prevenção é a melhor chance para se descobrir e tratar o câncer. “O que se percebe é que o número de diagnóstico de câncer de mama cresce, mas o número de mortes está caindo. A gente trabalha muito em cima da detecção precoce. Não tem como se fazer uma vacina, então a prevenção é fazer o diagnóstico precocemente. Porque quanto mais cedo, maior a chance de cura, fala-se em 95% de chance de cura. Os tratamentos vão ser menos invasivos e a chance de cura é muito grande.”

O câncer de mama não tem uma causa específica. Entretanto, a idade é um dos fatores mais importantes, pois cerca de quatro em cinco casos, a média de idade das pacientes é mais de 50 anos. Os exames periódicos devem ser feitos anualmente e os cuidados com a saúde redobrados. A prática de atividade física, alimentação saudável, manter o peso adequado, evitar consumo de bebidas alcoólicas e o uso de hormônios sintéticos, como anticoncepcionais e terapias de reposição hormonal são algumas ações que podem ser tomadas para evitar a doença. O autoexame da mama deve ser feito todos os meses. Durante a observação é importante avaliar o tamanho, forma, assim como saliência ou inchaço. Caso existam alterações, é recomendado consultar o ginecologista.

O autoexame deve ser feito uma vez por mês entre três e dez dias após o aparecimento da menstruação, ou em uma data fixa. O ideal é fazer de três formas diferentes: em frente ao espelho, deitado e em pé.

O autoexame da mama é importante para a detecção precoce do câncer. Foto: Reprodução Internet

Sinta o seu corpo
Na frente do espelho:
Sem roupa, observe os seios com os braços levantados, caídos, dobrados atrás do pescoço e com as mãos na bacia, pressionando-os. É importante avaliar forma, cor, tamanho, além de possíveis inchaços e saliências.
Em pé:
Preferencialmente durante o banho, com o corpo molhado e as mãos ensaboadas, massagear os seios com os dedos esticados, fazendo movimentos circulares de cima pra baixo, depois em linha reta em direção ao mamilo e em linhas retas para cima e para baixo. Após, verificar se existe saída de líquido anormal.
Deitada:
O exame deitada é semelhante ao exame em pé. Para ficar mais confortável, o uso de uma almofada atrás do ombro levantado dará mais sustentação. Os mesmos passos acima descritos devem ser feitos em cada mama.

Deixe seu comentário