Volvo FH 540 lidera no seguimento que representa mais de 50% de todo o mercado. Foto: Divulgação Volvo/ Internet

Reação produtiva. Comerciais leves e caminhões têm alta expressiva nas vendas em 2019

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) divulgou suas novas projeções para o fechamento do ano. Agora, a expectativa de crescimento na produção, e, sobretudo, nas vendas ao mercado interno, que deve fechar o ano com 2,8 milhões de unidades vendidas, um crescimento de 9,1% sobre 2018.

O destaque positivo é o setor de pesados, com importante crescimento estimado de 35%, ultrapassando a marca das 100.000 unidades vendidas – número que não era alcançado desde 2014. Já a produção deverá crescer menos, em função da queda de 33,2% nas exportações, provocada em grande parte pela crise da Argentina. “Na revisão feita agora, 85% da redução da expectativa de produção se deveu à queda de embarques aos nossos vizinhos argentinos”, afirmou o presidente da Anfavea, Luiz Carlos Moraes.

Estima-se a alta em 2,1%, o que representará o terceiro ano consecutivo de recuperação na produção. Os números são da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). No fechamento de setembro, destaque para a marca de mais de 2 milhões de automóveis licenciados em nove meses, melhor resultado do período desde 2014 e mais do que todo o volume de 2016. Foi o segundo melhor mês do ano em média diária; e, mais uma vez, o melhor desempenho é o dos caminhões, que em nove meses atingiu todo o volume de 2018.

No ano, mercado de veículos evolui 8,3%
A Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave) também apresentou terça-feira, dia 3, números que apontam para uma recuperação gradual da economia. Novembro, por exemplo, teve crescimento de 4,9% nas vendas de veículos, no comparativo com o mesmo mês de 2018, quando foram comercializadas 230,9 mil unidades. Em função do menor número de dias úteis, as vendas de veículos recuaram 4,4% em novembro com relação a outubro, com total de 242,3 mil emplacamentos, ante os 253,3 mil do mês anterior.

Nos onze meses o crescimento é de 8,3%, com 2.525.148 veículos leves e pesados licenciamentos, contra os 2.331.498 do mesmo período de 2018. Há uma desaceleração no crescimento do ano, visto que até outubro a alta era de 8,7%. O segmento de automóveis e comerciais leves somou 2,4 milhões de unidades no acumulado dos 11 meses, numa alta de 7,2%. Já o seguimento de caminhões teve crescimento bem mais expressivo, de 35,7%, saltando de 68,8 mil unidades para 93.4 mil no mesmo comparativo. O segmento de pesados tem representado, em média 51,2% de todo o mercado.

Deixe seu comentário