Foto: P+G Comun.Integrada/ Empresa Laquila

O Brasil conta com cerca de 28 milhões de motocicletas ou motonetas em sua frota, de acordo com o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), o que representa também 28 milhões de capacetes. Isso cria mercado de grande variedade de opções, com linhas especiais para trabalhar, passear e viajar. E na hora de trocar o equipamento, há seis dicas para escolher um capacete seguro e confortável.

Uma delas é a quantidade de uso. Um piloto que usa apenas no fim de semana ou férias difere de quem trabalha com a moto no dia a dia. Nesse contexto, é importante pensar na durabilidade, com custo-benefício.

Outras variáveis são o tipo de uso, esporte ou trabalho; o tamanho dele, dando preferência a um modelo mais justo à cabeça; presença de ‘narigueira’ de proteção é um bom acréscimo, além de sua capacidade de visibilidade em dias frios e chuvosos. Mas o item mais importante é a segurança, no qual a certificação do Inmetro é indispensável. Neste item está ainda a recomendação para apostar em uma viseira com pelo menos dois milímetros (mm) de espessura, que proteger em caso de impacto, como uma pedra, e risca menos.

Deixe seu comentário