Transmissão é responsável por transferir o movimento do motor à roda traseira. Foto: Ilustrativa/ Internet

O uso crescente do meio de transporte motocicleta aumenta proporcionalmente a demanda por peças de reposição. Entre elas, o fundamental kit de transmissão (coroa, pinhão e corrente) teve seu volume de importação aumentado significativamente. Todavia, boa parte desses produtos entram no Brasil ilegalmente, principalmente vindo da China. O golpe dos importadores é declarar valores abaixo até mesmo do custo mínimo da matéria-prima chinesa – o aço – empregada na fabricação.

Desta maneira, os impostos devidos nas operações são sonegados, o fisco enganado e os brasileiros lesados. Para combater as irregularidades praticadas em processos de compras do exterior, o Sicetel (Sindicato Nacional da Indústria de Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos) iniciou um trabalho de defesa comercial.

O objetivo é de denunciar às autoridades os casos de importações subfaturadas. Essas práticas têm gerado lucros aos importadores, mas prejuízos aos fabricantes nacionais do kit de transmissão e a toda indústria metalmecânica e siderúrgica. E, consequentemente, tem criado desemprego no setor.

Somente no período de 2013 a 2018, o volume de importações abaixo do valor mínimo representou 82% das importações. Uma perda de bilhões de reais para o Brasil. Com estes dados apurados, a entidade fornece subsídios para que os auditores e técnicos dos órgãos competentes possam detectar os desvios e tomar as medidas legais cabíveis.

Você Sabia
Segundo a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), o número de motos é maior que o de carros em 45% das cidades brasileiras. Segundo a pesquisa, em abril deste ano havia mais motos do que carros em 2.487 do total de 5.568 municípios

Deixe seu comentário