foto: GM/divulgação

A produção de automóveis da GM no Brasil retornou ao ritmo normal após cinco semanas, na última segunda-feira. A paralisação estava prevista para expansão da capacidade e modernização de linhas de montagem. As obras, concentradas nos complexos de Gravataí (RS), São Caetano do Sul (SP) e Joinville (SC), representam também a primeira fase do processo de adequação para receber uma nova família de veículos posteriormente.
“A estrutura fabril da empresa passa a incorporar os conceitos de manufatura 4.0, os mais avançados do mundo, numa ação arquitetada em conjunto com nossos parceiros e fornecedores”, explica o vice-presidente de Manufatura da GM América do Sul, Luiz Peres. As novas tecnologias incluem prensas de última geração, solda a laser, sistema de montagem de motor e transmissão, injetoras plásticas, processo de funilaria e transportador de veículo na linha de montagem.

O complexo de Joinville produz motores e cabeçotes, enquanto os complexos de Gravataí e de São Caetano do Sul (SP) concentram a montagem dos modelos Onix, Prisma, Cobalt, Spin e Montana, que representam cerca de 75% das vendas da Chevrolet no país.
“Como os estoques de modelos Chevrolet foram consumidos antecipadamente devido ao aumento da procura por carros da marca, estamos acelerando o processo de distribuição dos veículos às concessionárias para atender o mais rápido possível as encomendas dos clientes”, informa o vice-presidente da GM Mercosul, Marcos Munhoz.

Deixe seu comentário