Tendência é de pátios lotados nas montadoras. Foto: Internet

Estacionou. Estagnação de vendas de início de ano se repete em todo o Brasil

O Sincodiv/Fenabrave-RS contabilizou em janeiro um total de 14.443 veículos novos comercializados nas distribuidoras (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos). Este número representa uma queda de 30,67% em relação a dezembro; e ainda recuo de 10,41% na comparação com janeiro de 2019. Estes resultados que mantém o Rio Grande do Sul entre os estados com pior desempenho de vendas.

Paulo Siqueira, presidente da entidade, revela preocupação com o fato do setor ter voltado ao patamar de 2018. Isso após uma gradual reação em meio ao processo de recuperação da economia (no ano passado foram mais de 16 mil unidades comercializadas. Em sua visão, as vendas no Rio Grande do Sul abaixo da média nacional têm correlação, principalmente, com a perda de competitividade tributária do Estado em relação aos demais da Federação.

Mas em todo o Brasil, segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), os resultados também não são positivos. A venda de veículos começou 2020 com queda de 3,2%, segundo a associação dos concessionários. De acordo com a entidade, o total de 193.464 automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus foram emplacados janeiro, contra 199.775 veículos no mesmo mês do ano anterior.

Boa notícia nas rodoviasNa contramão da crise está a indústria brasileira de implementos rodoviários, que vendeu 8.559 unidades em janeiro, 6,7% acima das 8.020 no mesmo mês do ano passado. Em 2019, os negócios do setor no mercado interno cresceram 33,7% sobre 2018 (120,5 mil implementos). Os protagonistas foram os equipamentos pesados. Reboques e semirreboques acumularam 63,5 mil emplacamentos, mais de 52% das vendas de 2019. Em janeiro, o segmento continuou crescendo, com 4.646 implementos pesados emplacados.

Deixe seu comentário