Foto: Bruno Alencastro/ Agência RBS

Em julho de 2014, três estudantes do curso de Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) tiveram uma ideia em que pouca gente botou fé. Enquanto trocavam sugestões de títulos e escritores, Gustavo Lembert, 25 anos, Arthur Dambros, 25, e Tomás Susin, 27, criaram um clube de assinatura de livros, a TAG – Experiências Literárias. Num país em que 44% da população não lê e que 30% nunca comprou um livro, segundo a Pesquisa Retratos da Leitura no Brasil (2016), as chances de o negócio vingar pareciam remotas.
Passados três anos daquela decisão arriscada, o trio, agora ao lado de outros dois sócios, Álvaro Englert, 28, e Pablo Valdez, 28, comemoram a conquista de quase 18 mil assinantes e o faturamento mensal de R$ 1,2 milhão. “No meio de nossas discussões, percebemos que os livros eram sempre a pauta e começamos a debater como poderíamos trabalhar. Não tínhamos vontade de abrir uma livraria ou um sebo online. A gente queria trabalhar com experiência de leitura”, afirma Gustavo, sócio-fundador.
A empresa se assemelha ao extinto Círculo do Livro, que existiu entre 1973 e 2000 e chegou a ter 800 mil associados. Enquanto os exemplares do Círculo eram escolhidos por quem pagava a conta, os associados da TAG recebem todo mês uma caixa com um livro surpresa – indicado por um curador –, além de uma revista sobre a obra e um “mimo”.
“O dilema era: quem vai indicar? Porque não temos ‘bagagem’ para sugerir livros para pessoas de uma variedade de estados. Daí pensamos em chamar referência culturais, das quais a gente já tinha ido a palestras ou lido um livro que admirasse, alguém que tivesse bagagem cultural e literária”, explica Gustavo.
O primeiro curador escolhido foi o filósofo Mário Sergio Cortella, que indicou O Físico, de Noah Gordon. O livro foi entregue em agosto de 2014 para 65 pessoas – a meta era alcançar 70. Nos primeiros meses, a maioria dos associados era concentrada em Porto Alegre, tanto que a própria equipe montava os kits e os entregava. “Demoramos cinco meses para atingir os 100 associados”, recorda Gustavo.
A frustração de não conseguir dar conta de todas as tarefas só não foi maior porque o retorno dos assinantes era bastante positivo, com poucos cancelamentos e muitas mensagens de incentivo. Isso acabou dando fôlego para que persistissem, colocando como meta chegar aos 400 sócios até novembro de 2015. Caso falhassem, desistiriam do negócio. Somente quando apostaram em assessoria de imprensa é que as assinaturas deram um salto de 500 associados. Em dezembro, já havia 2 mil pessoas ansiosas pelas caixas. No final de 2016, o número cresceu para 12,5 mil. Agora, a meta é chegar aos 100 mil assinantes.
Para celebrar os três anos da TAG, o grupo elaborou um presente especial aos associados, que consiste numa antologia organizada por Luiz Ruffato e outros 20 escritores – 10 homens e 10 mulheres.

Saiba mais

Para ser um associado, basta acessar o taglivros.com e seguir as instruções da página. O preço mensal é de R$ 69,90 e desconto de 50% para quem assinar o Clube até dia 9 de julho, na primeira mensalidade. Número para contato é 51 3095-5200 ou pelo e-mail contato@taglivros.com.br.

A curiosidade pela caixinha

Caroline Laís da Cruz, 28, servidora pública, é associada desde junho de 2016. Ela conta que sempre gostou de ler, então associou-se mais pela curiosade de saber o que vai receber todo mês e de conhecer novos autores. “Também tem a questão da surpresa, da revista que vem com detalhes sobre o livro e o autor”, revela.
Além disso, segundo ela, tem um aplicativo e grupos de discussão para
comentar os livros, entre outros. “Teve um mês, outubro, que eles organizaram uma campanha para os associados doarem livros infantis, que iriam montar uma biblioteca numa região carente. E, no fim, arrecadaram tanto livro que dava para montar mais de uma”, recorda.

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário