Loiva cuida diariamente dos seus quatro netos, que têm idades próximas

Não há coisa melhor do que lembrar os cheiros que marcaram a nossa infância. Com certeza você lembra do feijão da vovó, do cheiro de pão assando, perfume de flores. Outros se lembram dos cafés preparados na casa dos avós e também do zelo que eles tinham enquanto as crianças brincavam.

Nessa sexta-feira, 26, quando comemoramos o Dia dos Avós, os netos puderam dar um abraço especial e agradecer por todo o amor recebido. Na verdade a maioria das pessoas considera a vovó e o vovô como se fossem pais, porque são eles quem cuidam dos netos enquanto mãe e pai trabalham.

Netos fazem da casa dos avós sua segunda morada. É isso mesmo que acontece com Antonella Endres Teodoro, 5 anos, Lucca Endres Teodoro, 4 anos, e as gêmeas Flora Endres Altenhofen e Elisa Endres Altenhofen, 2 anos. De vez em quando “acampam” na vó Loiva Maria Endres, 61 anos, e no vô Alfredo Antônio Endres, 65 anos. As quatro crianças dividem a atenção do casal durante o turno da manhã, quando não estão na creche.

Avó fica orgulhosa quando as crianças estão unidas e brincando

Conforme Loiva, pela manhã é preciso atravessar a cidade, do bairro São Paulo para o Progresso, para poder cuidar das irmãs Flora e Elisa. Já Antonella e Lucca aparecem todos os dias na vó. “Demorou a vir os netos e, quando chegaram, vieram todos juntos”, afirma a esposa de Alfredo. Durante o dia muita coisa acontece no lar da família. Desenhos, jogos, contação de histórias são algumas das atividades feitas por todos.

Único menino da turma, Lucca ama jogar futebol, portanto, cabe à avó virar a verdadeira jogadora. “Os netos são minha vida. Sou bastante mãe também”, destaca Loiva. Com tantas crianças pequenas juntas, as brigas resolvem aparecer, mas, neste caso, é para disputar atenção e colo. Cabe ao casal amenizar essas situações, sendo a parte mais difícil para a vovó. Porém, Loiva contorna e afima: “Não há nada mais bonito que ver eles brincando juntos”, completa.

A relação tem sido muito boa na família Endres. Antonella é a mais velha dos netos e já ajuda a entreter os demais durante as brincadeiras. “A vó faz o ‘tetê’ (leite na mamadeira) quando a mãe não está”, revela a menina de cinco anos. A preocupação com o bem-estar das filhas e netos faz parte da vida de Loiva. Quando ficou sabendo da gravidez das gêmeas, a avó ficou inquieta. Na época, a mãe da Flora e da Elisa morava na Holanda e ninguém da família havia tido gêmeos. “Eu chorei quando recebi a notícia. Fiquei muito preocupada, mas depois tudo ocorreu bem e fiquei aliviada”, revela Loiva.

Relação entre netos e avós como na família Endres são comuns e se tornam saudáveis para o desenvolvimento das crianças, as quais se sentem protegidas e amadas. E vamos combinar: é muito bom estar na casa da vó para comer aquela comidinha gostosa, brincar e sentar no colo de quem a gente tanto ama.

Deixe seu comentário