O polietileno I’m green™ bio-based é feito a partir da cana-de-açúcar e mantém as mesmas propriedades, desempenho e versatilidade do plástico convencional. Foto: divulgação Braskem

No final de maio deste ano, a Braskem teve sua iniciativa reconhecida em evento da Organização das Nações Unidas (ONU) como um dos casos mais transformadores em desenvolvimento sustentável no Brasil. Trata-se da produção de polietileno I’m green™ bio-based, plástico de origem renovável, feito a partir da cana-de-açúcar, que foi desenvolvido no Centro de Tecnologia e Inovação da Braskem, localizado no Polo Petroquímico de Triunfo.

A empresa salienta que as aplicações do bioplástico são as mesmas dos plásticos de origem fóssil. Ele pode estar presente em diversos produtos do dia a dia, como tampas, bacias, baldes, brinquedos, embalagem para cosméticos, embalagens para produtos farmacêuticos, utilidades domésticas, entre outros.

Através do polietileno verde I’m green™, por exemplo, é possível produzir materiais pelos processos de extrusão, sopro, injeção, filmes e fios e cabos. Para ampliar as possibilidades de utilização deste bioplástico, a Braskem ressalta que vem trabalhando com parceiros no desenvolvimento de novas formulações. A empresa investiu 290 milhões de dólares na construção de uma unidade industrial, com capacidade de 200 mil toneladas por ano.

Iniciativa foi desenvolvida no Centro de Tecnologia e Inovação da Braskem, no Polo Petroquímico de Triunfo

A assessoria de comunicação da Braskem revela que o grande diferencial deste plástico de origem renovável é a captura de 3,09 toneladas de gás carbônico (para cada tonelada produzida) durante seu processo de produção, que permanece fixado durante todo o ciclo de vida do produto final, contribuindo para a redução das emissões de gases do efeito estufa.

O material do bioplástico desenvolvido no Polo Petroquímico de Triunfo mantém as mesmas propriedades, desempenho e versatilidade do plástico convencional, de origem fóssil, podendo ser inserido nas mesmas cadeias de produção e reciclagem existentes.

Iniciativa reconhecida pela ONU
O bioplástico da Braskem foi reconhecido no dia 26 de maio pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal) da Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Brasil do Pacto Global como um dos casos mais transformadores em desenvolvimento sustentável no Brasil, na categoria Indústria & Energia. Vale salientar que, neste ano, a produção de plástico renovável da Braskem completa uma década.

A iniciativa da empresa faz parte de um repositório on-line com mais de 60 casos de estudo para estimular o desenvolvimento sustentável de vários setores da economia. Trata-se de um conjunto de projetos que alavancam investimentos nacionais e internacionais a fim de gerar um grande impulso (“Big Push”) de crescimento econômico, geração de emprego e renda, redução de desigualdades e lacunas estruturais e promoção da sustentabilidade ambiental.

O reconhecimento foi oficializado durante a participação da Braskem no webinar sobre “Big Push para a Sustentabilidade”, aberto ao público e organizado pela Cepal, em parceria com a Rede Brasil do Pacto Global, entidades ligadas à ONU. Para conhecer as iniciativas apresentadas no webinar do dia 26 de maio, acesse https://biblioguias.cepal.org/bigpushparaasustentabilidade.

Para o diretor do escritório da Cepal no Brasil, Carlos Mussi, os casos reunidos no Repositório de casos sobre o “Big Push para a Sustentabilidade” no Brasil são exemplos claros de investimentos que são capazes de entregar resultados sociais, econômicos e ambientais, em linha com uma estratégia de recuperação sustentável para o país.

Deixe seu comentário