Prédio foi construído em 1896 para abrigar a fábrica da Cervejaria Jahn, uma das mais importantes empresas da cidade no início do século XX. Reprodução acervo Romério Alves de Oliveira

Construções que abrigaram a antiga Cervejaria Jahn e o hotel Brasil ainda são preservadas

Montenegro comemora nesta quarta-feira, dia 5, 148 anos de emancipação política. Durante todo esse tempo, o patrimônio histórico arquitetônico tem ajudado a contar a história do município. Através dos prédios e construções históricas é possível reconhecer as características da comunidade e a história de seus habitantes em cada período.

E para contar parte da história de Montenegro o Jornal Ibiá fez uma relação de alguns dos prédios mais antigos ainda preservados no município. São prédios conhecidos por muitos montenegrinos, mas que muitas vezes passam despercebidos em meio às novas construções que fazem parte da cidade.

Prédio da antiga Cervejaria Jahn é um dos mais antigos
Um imponente prédio construído no centro de Montenegro no ano de 1896 abrigou uma das mais importantes empresas do município durante a primeira metade do século XX. Localizado na esquina da rua Cap. Cruz com a São João, o prédio está na lista dos mais antigos ainda preservados da cidade.

Conforme Maria Adelita de Vargas, professora responsável pelo Museu Histórico Municipal Nice Antonieta Schuler, ali funcionou durante muitos anos a Cervejaria Janh. O imigrante alemão Gustavo Jahn, proprietário da cervejaria, iniciou a construção do prédio no ano de 1896. A fábrica de cervejas foi transferida para o local em 1898, quando passou de uma pequena empresa para uma das mais importantes do município e posteriormente se consagrou como uma das principais cervejarias do Estado na época.
Em 28 de junho de 1912, foi concluída a construção da chaminé da fábrica, que passou a ser um marco de Montenegro. Nesta época a fabrica passou a se modernizar e foi ganhando cada vez mais espaço no mercado de cervejas nacional.

O proprietário da fábrica, Gustavo Jahn, faleceu em 1917, mas a cervejaria continuou a ser administrada pelos filhos. No entanto, por falta de matéria prima para a produção das cervejas ocasionada pela Segunda Guerra Mundial, em 1939 a fábrica teve de fechar, encerrando as suas atividades.
Após esse período o prédio foi vendido pela família e desde então abrigou diversos comércios. Ainda preservado, atualmente, no local funcionam comércios populares de produtos eletrônicos.

Local onde era a antiga Cervejaria Jahn, atualmente funcionam comércios populares

Hotel Brasil marcou época e recepcionou até governador
Outro prédio também é apontado pela Diretoria de Patrimônio Histórico como um dos mais antigos da cidade ainda preservados. A construção fica localizada na esquina da rua Álvaro de Moraes com a Assis Brasil, de frete para a Orla do Rio Caí, um dos principais pontos de Montenegro.

No local funcionou o Hotel Brasil, um dos mais importantes da cidade na época. Reprodução acervo Museu Histórico Municipal

Segundo o historiador Eduardo Kauer, o prédio foi construído pelo imigrante alemão Friedrich Fuhrmeister no final do século IX para abrigar a sede do hotel Brasil. Na época, o rio Caí ainda era a principal ligação da região com a capital gaúcha, sendo o cais do porto o centro econômico da cidade. O hotel Brasil abrigou pessoas importantes, como o então governador Borges de Medeiros, que em 19 de abril de 1903 foi recepcionado no local.

Com a construção da Estação Ferroviária em 1909 o eixo econômico se transferiu para outra região do município. Segundo Kauer esse fator foi um dos motivadores da venda do hotel pela família Fuhrmeister. Após a venda, no local passou a funcionar uma pensão de propriedade da família Hummes e mais tarde o prédio foi transformado em residência.

Atualmente prédio centenário é usado como residência

Deixe seu comentário