Fotos: Divulgação DNA

As flores são como um beijo da natureza nos seres humanos. São significado de amor, solidariedade, apoio e reverência. E no aniversário de Jesus e na Confraternização Internacional não poderiam estar ausentes dos lares. No cristianismo, a rosa é símbolo do coração de Cristo, é símbolo do segredo guardado, pois é uma flor que se fecha sobre seu coração. Ela representa doação e amor. A rosa simboliza ainda a Virgem Maria, por seu significado de pureza, castidade e virtude.

Com suas multicores e fragrâncias que não se repetem, as flores foram agregadas ao cotidiano das pessoas em torno do mundo. E, ao menos há dois anos, cresceu a tendência de decorar o Pinheirinho com flores, como Margaridas e Girassóis. Nos jardins se unem à decoração luminosa, em uma cenografia de felicidade.
Mas, é claro, quando se fala na data mais emocionante do ano, o domínio no imaginário popular é a Flor do Natal; ou a Poinsétia. A flor símbolo tem folhas verdes e vermelhas, com pequenas flores brancas, ornando de forma ideal com as cores da época, do Pinheiro, do Papai Noel.

Ela é encontrada em muitos arranjos, guirlandas e enfeites. E há quem cultive no jardim para que desabroche justamente em dezembro, anunciando a chagada dos dias de fraternidade, de família reunida, de perdão e de compartilhar. A Poinsétia é originária do México e é mais conhecida nessas variações de cores, mas também pode ser encontrada em tons de rosa, salmão, creme e até mesmo amarelo. Aqui no Brasil, é mais conhecida como Bico-de-Papagaio, e predominantemente no vermelho.

Caso você queira mantê-la o ano todo, é importante que, após o Natal, ela seja transplantada para o solo. Tal como todas as outras plantas, necessita de cuidados básicos para garantir a sua longevidade e beleza natural. Ela precisa de muita luz natural e temperatura amena, a fim de preservar sua saúde. A rega deve ser realizada apenas quando a terra está seca, evitando afundar as raízes. Com a falta de umidade e em contato com ambientes secos, esta planta tende a murchar e, embora as folhas murchas possam ser recuperadas, este é um processo muito moroso.

Mas atenção: é preciso ter cuidado ao manusear essa flor. Isso porque a seiva leitosa da planta é bastante tóxica. Em contato com a pele e mucosas, provoca inflamações, dor e comichão, podendo causar também irritação nos olhos, lacrimejamento, inchaço das pálpebras e dificuldades na visão. A sua ingestão pode causar náuseas, vômitos e diarreia. É falso, no entanto, que possa provocar a morte.

Deixe seu comentário