Lixo reciclável é levado em um reboque, que foi comprado com dinheiro da venda desse material. O valor com a comercialização é revertido em doces entregues às crianças no Natal e na Páscoa, em Montenegro, além de kits com material escolar repassados à Pastoral da Criança. No Natal deste ano foram entregues 700 pacotes de doces.

Um grupo de amigos queria fazer sua parte na construção de um mundo melhor, auxiliando pessoas com baixo ou nenhum poder aquisitivo, e encontrou na venda de material reciclável uma fonte de renda para colocar a ideia em prática. Assim nasceu Os Parceiros do Bem, em Montenegro, que há quase três anos tem contribuído para dar um destino correto ao lixo e, ao mesmo tempo, promover um pouco de alegria às crianças.

Integrante do grupo, a auxiliar de laboratório Rosana Cláudia de Azevedo Marques acrescenta que são cerca de 40 pessoas que fazem parte dos Parceiros do Bem. Ela salienta, porém, que a rede de solidariedade inclui colaboradores anônimos e empresas que destinam seu lixo reciclável ao grupo. O material recolhido é vendido e o recurso utilizado para compra de kits de doces para distribuir às crianças na Páscoa e no Natal. Além disso, em fevereiro, o grupo organiza kits completos de material escolar, e entrega à Pastoral da Criança para encaminhar a meninos e meninas que necessitam.

Ao longo deste ano, o Parceiros do Bem arrecadou 7,2 toneladas de recicláveis, que foram vendidos à Montepel Assessoria Ambiental. “Superou nossas expectativas”, analisa Rosana. Ela destaca a colaboração de familiares, vizinhos, amigos e até desconhecidos que também reservam o lixo seco para destinar ao grupo. Rosana reforça ainda que há empresas que também guardam material para repassá-lo ao grupo.

Desta forma, latinhas, papel, papelão, pets, entre outros objetos seguem o caminho da reciclagem, ação que reduz o impacto ambiental. Rosana destaca o trabalho dos catadores, escolas e organizações que, assim como o Parceiros do Bem, retiram boa parte do lixo do meio ambiente. “Se não fossem trabalhos como esses, viveríamos em meio ao lixo”, resume.

Até ser vendido, o material é armazenado em um galpão do pai de Rosana e, geralmente a cada 15 dias, o grupo enche um reboque e leva a Montepel. Ela acrescenta que até o reboque foi adquirido com dinheiro da reciclagem. O valor varia conforme o material, mas uma carga rende, em média, entre R$ 100,00 e R$ 150,00. Além da receita com essa venda, o grupo promove uma festa de São João beneficente, em Passo da Amora. Nessa ocasião, eles se caracterizam e realizam encenações típicas.

Saiba mais
Ao longo de 2018, o grupo Parceiros do Bem arrecadou 7.200 quilos de material reciclável;
Para o Natal, foram feitos 700 pacotinhos de doces para distribuir às crianças, em alguns bairros de Montenegro;
Na Páscoa, foram distribuídas 230 caixinhas de chocolate;
Em fevereiro, foram feitos 20 kits completos de material escolar e entregues à Pastoral da Criança.

Deixe seu comentário