Adriano e Fabiano explicam que utilizar a composteira é um ato ecológico

O processo de reaproveitamento dos resíduos orgânicos produzidos na sua casa pode auxiliar muito o Meio Ambiente. Em meio à produção exorbitante de lixo pelos habitantes, em média 387 quilos de resíduos por habitante por ano, segundo uma pesquisa feita pela Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos Especiais (Abrelpe), em 2016, é necessário repensar o descarte de forma correta dos materiais. A compostagem é um método de oxidação de toda a matéria orgânica. O ideal para esse tipo de composteira é não usar os insumos processados, como os alimentos cozidos com óleo, e sim restos de vegetais e frutas. Ainda, faz parte do sistema, a minhoca californiana.

O chefe da pasta da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SMMA), Adriano Campos Chagas e o assessor especial da SMMA, Fabiano Vargas da Silva, explicam a importância da elaboração de uma composteira orgânica no ambiente doméstico. “Melhora a condição de vida do catador de lixo, pois não há mistura do resíduo orgânico com o material reciclável, que quando ocorre, inviabiliza o resíduo que vai ser vendido.”, comenta Adriano. Além disso, o material produzido pelo sistema orgânico, o humos e o chorume, pode ser utilizado em jardins e hortas, tendo um grande potencial nutritivo para as plantas. “Há uma melhora no ecossistema da casa, com plantas e flores mais bonitas no jardim. Além disso, há um contribuição com o Meio Ambiente, gerando uma série de benefícios para a comunidade e principalmente para si mesmo”, comenta o secretário.

Deixe seu comentário