No centro das denúncias apresentadas pelo Ministério Público (MP) contra a administração do prefeito cassado Luiz Américo Alves Aldana, o transporte público passou a ser uma perturbação à comunidade. Sempre que se fala no tema surgem queixas e sugestões. Pois, no início da noite de hoje, será dada oportunidade para o cidadão contribuir a respeito do ônibus que quer usar em Montenegro.

A Audiência Pública é uma prerrogativa prevista em duas leis, como explica o agente fiscal do Departamento de Trânsito e Transporte, Fabio Silva de Araújo. Ele reitera que abrir espaço ao diálogo não é projeto oferecido pela Prefeitura, mas uma obrigação do governo e um direito da comunidade. Qualquer morador pode participar, opinando, sugerindo e exigindo itens e alterações que melhorem a qualidade do serviço.

“Vai ser discutido a característica do transporte como uma todo”, explica. Toda a manifestação será bem aceita, todavia, alerta o agente, não significa que será incluído no edital de licitação para contratar a empresa responsável pelo transporte municipal. Ele sugere que sejam levadas propostas plausíveis e dentro da realidade local; lembrando sempre que melhorias podem significar aumento de custo e consequente reajuste na tarifa.

Um tema que certamente será trazido ao debate é a instalação de ar-condicionado nos coletivos. Araújo revela que o Departamento inclusive está pronto para contrapor o pedido, apresentando o acrescimento que isso representará ao preço da passagem. Ele observa que essa é uma pauta polêmica, mas, que se aceita pelos presentes, será levada adiante. E ao falar em preço da passagem, a redução também pode ser discutida nesta noite.

Ainda que Araújo se mostre pouco otimista quanto a possibilidade de uma redução. Manter ou até aumentar o valor atual é a hipótese mais provável. Todos os cálculos de custos e o preço estão em planilha elaborada por empresa contratada pela Administração Municipal. O resultado desta audiência ainda passará nova avaliação dos técnicos para decidir o que será incorporado à licitação. O edital deve ser lançado na metade de novembro e a expectativa é de que mais empresas se apresentem para concorrer.

Araújo lembra que no último processo até mesmo uma transportadora de São Paulo chegou a mostrar interesse. O contrato precisa ser renovado nos próximos meses, pois a Viação Montenegro (Vimsa) se mantém no serviço através de Termo de Prorrogação ao contrato. Essa situação tem tempo limite até 16 de janeiro de 2018, mas o transporte será mantido até a assinatura do novo contrato.
Participe da decisão

Quando: Quarta-feira – dia 4 de outubro
Horas: 18h45min
Onde: Câmara de Vereadores de Montenegro

Deixe seu comentário