Jaina e Anderson com o pequeno Vicente, com oito meses

Alguns cuidados evitam problemas que podem manchar suas férias

Luan e Gabriel, 6 anos, com os gêmeos Lucas e Davi, 2 anos. FOTOS: ARQUIVO PESSOAL/JAINA COUTO SCOTTO

O litoral é o destino de grande parte das pessoas durante o verão. E retornar com boas lembranças, registradas na memória ou em imagens, é o ideal. Sem queimaduras do sol nem histórias tristes. Para que o passeio seja só diversão, no entanto, é preciso ter alguns cuidados. Conversar com as crianças sobre os riscos do mar e as chances de se perderem em meio a tanta gente na praia é a estratégia da montenegrina Jaina Couto Scotto, que recentemente esteve na praia de Magistério, em Pinhal.

Foram dois casais de adultos e cinco crianças, sendo dois meninos de seis anos; gêmeos, com dois anos; e um bebê de oito meses. “Todos obedientes. Antes de ir à praia, expliquei aos mais velhos que não poderiam sair da nossa vista, caso se perdessem era para procurar o salva vidas e pedir ajuda”, afirma. “E que o limite dentro do mar era água abaixo da cintura, se não cairiam em um buraco e o mar os levaria embora”, acrescenta.
Seguindo as orientações, os dois garotos iam livremente à beira mar, com supervisão constante dos pais, mas à distância. Eles sentavam próximo da beira do mar para supervisionar os pequenos. Os gêmeos só entravam na água junto com um adulto e as brincadeiras na areia eram sempre embaixo dos guardassóis.

“Nós presenciamos um caso de uma criança que fez birra, querendo entrar no mar e a mãe não deixava. Então, quando ela se descuidou, a criança correu e acabou se perdendo devido à quantidade de pessoas na praia”, afirma. Para ela, os cuidados que os pais devem ter com as crianças variam muito conforme o comportamento delas, pois algumas são mais obedientes, outras mais teimosas. “Se você tem filhos que respeitam o que você diz fica muito mais fácil. Crianças mais birrentas têm maior tendência a se perder”, observa.

Proteção solar é fundamental

Luan e Gabriel entravam no mar, mas os pais ficavam de olho

O uso de protetor solar é recomendado o ano inteiro, mas, quanto mais exposto ao sol, maior a necessidade de se proteger. “Com o sol forte, levamos protetor fator (de proteção) 50”, afirma Jaina Couto Scotto. Os meninos maiores entravam na água com mais frequência e, portanto, passavam protetor mais vezes durante o dia.

“Já os três pequenos, além do protetor, estavam sempre com camisetinhas e bonés, mesmo embaixo do guarda-sol, pois cuidado nunca é demais”, acrescenta. “É preciso usar muito filtro solar e evitar ir em horários em que o sol está mais forte”, observa. Ela acrescenta ainda que é importante fazer brincadeiras embaixo do guarda-sol, evitando que as crianças se afastem. Entre os cuidados para aproveitar melhor a praia, Jaina inclui levar muita água e frutas. “E é muito importante manter a praia limpa para que todos possam usá-la”, salienta. Por isso, se no local onde você estiver não houver lixeira por perto, leve o lixo para descartar em casa.

Deixe seu comentário