Um evento realizado nesta terça-feira (11/04) no Pesque e Pague do Batata, em Harmonia, celebrou o aniversário de dez anos da Rota Turística Sabores e Saberes do Vale do Caí. Na ocasião, representantes dos 11 empreendimentos rurais que integram o roteiro estiveram reunidos com técnicos da Emater/RS-Ascar, agricultores e lideranças municipais, regionais e estaduais, entre elas o secretário Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Tarcísio Minetto, e o prefeito de Harmonia, Carlos Alberto Fink.

Coube ao supervisor da Emater/RS-Ascar, Fábio da Encarnação, a tarefa de realizar um resgate das ações que culminaram na consolidação da Rota como fonte de renda para as famílias envolvidas. “Um dos pontos de partida foi a criação do Fórum Regional de Agricultura Familiar, ainda no final dos anos 90, que buscava promover o desenvolvimento sustentável da região”, salienta Encarnação. “Naquele contexto foram definidas algumas áreas prioritárias, estando o turismo rural e a agroecologia, também trabalhada pelas famílias, entre elas”, lembra.

Já em 2005, o debate sobre turismo na região levou em conta os aspectos econômicos, socioculturais e ambientais, com vistas a explorar o potencial de cada município envolvido. “Havia ainda uma visão de turismo levando-se em conta Gramado e Canela, ignorando o fato de que as nossas propriedades rurais também tinham a sua história, a sua cultura e muito a oferecer”, recorda o supervisor. Foi a partir daí que se confirmaram os municípios integrantes (Bom Princípio, Capela de Santana, Harmonia, Montenegro e Tupandi), com o consequente planejamento de ações e de produtos e serviços a serem oferecidos.

Após uma série de capacitações, visitas a propriedades e viagens técnicas – fora a participação em outros encontros e atividades -, a Rota Sabores e Saberes foi criada, promovendo o turismo rural, gerando renda não apenas para as famílias empreendedoras, fortalecendo a rede de parcerias, aumentando as oportunidades de lazer e gastronomia locais e resgatando a história e cultura dos envolvidos. “Durante esses dez anos quase 200 mil pessoas de diversos países visitaram os empreendimentos, movimentando milhões de reais no Vale do Caí”, observa Encarnação.

Representando a Cooperativa Ecocitrus, o presidente Fábio Esswein reforçou o orgulho em trabalhar na agricultura familiar e em uma região que é referência internacional em produção agroecológica. “Foram muitos os investimentos feitos para a consolidação da Rota e os resultados alcançados mostram a transformação pela qual todos nós passamos com persistência, aumento da autoconfiança e trabalho conjunto”, enfatiza. Para Esswein, o trabalho em parceria também foi parte importante no processo. “Tudo isso criou condições para que nos sentíssemos dispostos a explorar o nosso potencial”, analisa.

Ao lado da Ecocitrus, outros dez empreendimentos compõem a Rota: Agrofloresta do Inacinho, Associação dos Artesãos Mãos com Arte, Cachaçaria Harmonie Schnaps, Casa da Atafona, Cervejaria Barley, Família Mossmann, Horto das Margaridas, Sítio Steffen, Sobrado Weber e o já citado Pesque e Pague do Batata. Para o representante da Casa da Atafona, Martin Maurer, o dia é de emoção, ao recordar toda a trajetória da Rota. “Nós não mudamos como pessoas, já que a nossa essência permanece, mas não podemos negar que o que ocorre no passado nos orienta para o futuro”, filosofa.

Mais informações podem ser obtidas no site www.rotasaboresesaberes.tur.br, no site da Agência Receptiva Estação de Turismo, www.estacaoturismo-rs.tur.br ou pelo e-mail receptivoestacaotur@g.mail.com. Dúvidas também podem ser tiradas pelos telefones (51) 3632-5787 ou (51) 98049-6693.

Deixe seu comentário