idem legenda
Salas do segundo piso do Centro Administrativo foram esvaziadas e servidores realocados para manter atendimento

Interditado. Segundo piso do prédio não pode ser usado e sessão da Câmara Municipal de Vereadores foi cancelada

Setor da Contabilidade
Setor da Contabilidade foi um dos mais afetados, com luminária caindo junto com o gesso. Chão ficou encharcado, assim como as mesas

Os servidores da Prefeitura de São José do Sul tomaram um susto na manhã de ontem quando chegaram no Centro Administrativo. Em razão da forte chuva de domingo, a água acabou infiltrando no telhado e fez o teto de gesso ceder em diversas salas do piso superior. Com o problema, 15 servidores precisaram ser realocados para o térreo e o segundo andar foi interditado. A sessão da Câmara de Vereadores foi cancelada, bem como uma audiência pública onde seria apresentado o relatório do terceiro quadrimestre de 2016 da Secretaria Municipal de Saúde, Saneamento e Assistência Social.

Ainda ontem, o prefeito Sílvio Kremer convocou técnicos da Administração e a construtora responsável para averiguar o que ocorreu de fato e até quando será necessário deixar o segundo piso interditado. “Apesar da chuva torrencial, o prédio precisa ser bem feito para que isso não aconteça. O pessoal da engenharia ainda está avaliando, mas, a princípio, o segundo andar vai ficar interditado”, destacou o chefe do Executivo no meio da tarde de ontem. O Centro Administrativo foi inaugurado em junho de 2012 e ainda está na garantia. O investimento no prédio foi de cerca de R$ 3,5 milhões.

Sala de reuniões
Sala de reuniões acabou virando espaço para secar documentos, que foram estendidos até no chão

De acordo com o prefeito, os funcionários do andar de cima foram realocados para o piso inferior para não deixarem de atender aos contribuintes. As salas mais afetadas foram as do setor de Contabilidade, de Recursos Humanos e o Gabinete do Prefeito. Inclusive, Sílvio ainda não havia ocupado o espaço em razão dos vazamentos que ocorrem pelas janelas sempre que chove. A energia do segundo piso foi desligada para evitar acidentes mais graves, já que até mesmo uma luminária caiu junto com o teto em uma das salas.

Ontem pela manhã, os servidores municipais preocupavam-se em secar documentos que acabaram molhados. Assim, a sala de reuniões do prédio terminou funcionando como varal, com dezenas de papéis estendidos em cadeiras, na janela ou até mesmo no chão.

 

Deixe seu comentário