Mariela (ao fundo) ressalta a oportunidade de usar o Facebook como ferramenta pedagógica em sala de aula

Com páginas no Facebook, alunos mostram atrações e história do município

Trabalhando com um projeto especial desde março, os alunos das aulas de Inglês e Espanhol do terceiro ano do Ensino Médio do Colégio Estadual Engenheiro Paulo Chaves aguardam ansiosos o primeiro contato de algum falante nativo dessas línguas. Explica-se: os estudantes criaram páginas no Facebook para divulgar para o mundo as atrações turísticas e a história de Maratá.

De acordo com a professora de Espanhol – e que substituía a professora de Inglês durante o período do projeto – Mariela Bier Teixeira, as páginas Ciudad Maratá para los Turistas e City of Maratá for Tourists fazem parte do projeto “Eu curto Maratá”, desenvolvido pela escola durante o mês de aniversário do município. Porém, os alunos gostaram do projeto e continuam atualizando as páginas. A próxima postagem deve ser sobre a escolha das novas soberanas da Oktoberfest.

Segundo Mariela, a ideia, ao fazer as páginas na rede social, é ampliar a visibilidade do município. “É um presente que quisemos dar para essa cidade turística”, destaca. A educadora salienta ainda a oportunidade de usar o Facebook como ferramenta pedagógica e também a ética dos alunos, que tiveram que fazer fotos originais para as postagens e não utilizar as já existentes na internet. A exceção foram as imagens da Oktoberfest e a do dindinho, devidamente creditadas.

Divididos em oito duplas, os alunos ficaram responsáveis por levantar informações e imagens de pontos turísticos e depois traduzir esses dados para o Espanhol e o Inglês. De acordo com a aluna Gabriela Camillo, 16 anos, a experiência foi ótima. “Primeiro achei difícil por causa da tradução e pesquisa, mas vi que era divertido”, conta a estudante, que trabalhou o tema “cascata Maratá”. Ela destaca ainda que o trabalho é uma forma de atrair turistas para o município.

Já a dupla Milena Lohman, 16 anos, e Maria Eduarda Querate Brandt, 17, fez suas postagens sobre a Casa do Turista e o estilo enxaimel das edificações. “Foi bom (participar do projeto). Buscamos as informações no site da Prefeitura e fomos traduzindo aos poucos em aula”, explicaram.

Elas salientaram ainda que o trabalho é importante porque o Executivo divulga muito as atrações turísticas do município, mas isso nunca havia sido feito em outras línguas.

 

Deixe seu comentário