Equipe realizou varredura em área de 300 metros ao redor do foco CRÉDITO: Prefeitura de Maratá

A Viligância em Saúde de Maratá localizou na rua Erci Antônio Pohren, no centro do município, larvas do mosquito Aedes aegypti. A espécie é a principal transmissora de doenças como dengue, zika e chikungunya. Ontem, uma equipe realizou varredura numa área de 300 metros em torno do local onde as larvas foram encontradas para ver se existem outros focos.

A agente de combate a endemias do Município, Fabiane Alves da Rosa, destaca que o foco encontrado não torna a cidade infestada pelo mosquito e tampouco com casos das doenças que ele pode transmitir. Ela ressalta que o último foco encontrado em Maratá foi em 2012. “Estamos coletando novas amostras e enviando para o Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (Lacen). Esperamos que seja só esse foco”, comenta. Ela contou com o auxílio de seis agentes de saúde para fazer a varredura.

Durante o trabalho, foram realizadas vistorias com o intuito de eliminar qualquer possível criadouro do mosquito, bem como a coleta de outras larvas para análise. O Aedes aegypti põe seus ovos em recipientes como latas e garrafas vazias, pneus, calhas, caixas d’água descobertas, pratos sob vasos de plantas ou qualquer outro objeto que possa armazenar água da chuva, por isso a necessidade de a população estar atenta e evitar que possíveis locais de proliferação se criem. O mosquito pode procurar ainda criadouros naturais, como bromélias, bambus e buracos em árvores.

Deixe seu comentário