Bandeiras tarifárias sinalizam as condições de geração de energia elétrica. Foto: Reprodução/Internet

Os consumidores têm mais um motivo para economizar energia elétrica. Após o reajuste de 21%, anunciado em abril, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informa agora que as contas de maio terão acréscimo pela mudança na bandeira tarifária de verde para amarela. O valor cobrado com a alteração será de R$ 1,00 a cada 100 kilowatt hora.
Desde janeiro até abril, foi usada a bandeira verde, em que não há cobrança adicional. A Aneel alega que a mudança é necessária em razão do final do período chuvoso na maior parte do país. Com o início de uma temporada mais seca, cai o volume de chuva sobre os reservatórios das principais usinas hidrelétricas geradoras do país. Com isso, há a necessidade de usar energia produzida pelas usinas termelétricas, que têm maior custo de produção.

A bandeira verde significa condições favoráveis de energia e, portanto, não há cobrança de taxa extra. O sistema de bandeiras incluiu ainda as cores amarela, que é intermediária, e a vermelha (patamar 1 e 2), que é a mais cara. As bandeiras sinalizam aos consumidores os custos reais da geração de energia e estimulam ao uso racional, o que reflete no bolso do usuário e na preservação ambiental.

Com a adoção da bandeira amarela, a Aneel aconselha os consumidores a adotar hábitos que contribuam para a economia de energia, como tomar banhos mais curtos utilizando o chuveiro elétrico, não deixar a porta da geladeira aberta e aproveitar mais a luz natural e o vento, deixando portas e janelas abertas, reduzindo o uso do ar-condicionado.

Deixe seu comentário