Indicado como substituto, Eliseu Padilha também é investigado em outra ação da PF. Foto: Cesar Itiberê/PR

Afastado do cargo, impedido até de entrar no prédio do Ministério do Trabalho e investigado por corrupção, Helton Yomura foi exonerado pelo Governo Federal, em edição especial do Diário Oficial no início da noite de quinta-feira, dia 5. E a solução encontrada por Michel Temer foi nomear interinamente o chefe da Casa Civil da Presidência da República, ministro Eliseu Padilha.

O gaúcho do MDB que, aliás, também é investigado em outro processo de corrupção. Padilha vai acumular os dois cargos. Em nota à imprensa, o Palácio do Planalto informou que Temer recebeu e aceitou o pedido de exoneração do indicado pelo PTB, que também era interino. Um dos alvos da terceira fase da Operação Registro Espúrio, deflagrada pela Polícia Federal (PF), o ministro Helton Yomura prestou depoimento de mais de uma hora ontem, na superintendência do órgão, em Brasília.

A PF informou que o objetivo da terceira fase da Operação Registro Espúrio foi aprofundar as investigações sobre uma suposta organização criminosa suspeita de fraudar a concessão de registros sindicais junto ao Ministério do Trabalho.

*Informações da Agência Brasil/ EBC

 

Deixe seu comentário