Evitar usar o ferro de passar roupa várias vezes na mesma semana é uma forma de economizar energia

Condição mais favorável para geração de energia elétrica evita taxa extra nas contas, beneficiando consumidor

A conta de luz pesará um pouco menos no bolso dos brasileiros no mês de janeiro. Isto porque a Agência Nacional de Energia Elétrica determinou que a bandeira tarifária neste mês seja da cor verde, ou seja, não terá custo extra para o consumidor.

Em dezembro de 2017, a bandeira foi vermelha patamar 1, uma das tarifas mais caras, com custo de R$ 3,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. Essa taxa extra ocorre quando há necessidade operar usinas térmicas para gerar energia, que são mais caras, para compensar a geração hidráulica inibida pela falta de chuvas.

Embora a cor da bandeira tenha mudado para a verde e indique condições favoráveis de geração hidrelétrica no Sistema Interligado Nacional, é preciso que o consumidor use a energia de forma consciente e combata o desperdício. Do contrário, a conta será alta mesmo sem a taxa extra.

O pesquisador do Grupo de Economia da Energia, Renato Queiroz, dá algumas dicas de como economizar e gastar menos. “O chuveiro elétrico gasta muito. Então eu tenho que fazer uma banho eficiente. Deixar menos tempo o chuveiro ligado. Não vamos cantar no banheiro que vai gastar muita eletricidade”, aconselha. “Quem é o outro vilão também é a geladeira. Então vamos abrir e fechar menos a geladeira”, acrescenta.

Queiroz menciona ainda o uso do ferro elétrico, e afirma que o melhor é acumular a roupa e passar menos vezes. “Se você todo dia passa roupa, você tem um período que vai esquentar o ferro e vai gastar muito”, afirmou.

Bandeiras Tarifárias e as tarifas de energia
As Bandeiras Tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Dependendo das usinas utilizadas para gerar a energia, esses custos podem ser maiores ou menores. Quando a bandeira está verde, as condições hidrológicas para geração de energia são favoráveis e não há qualquer acréscimo nas contas. Se as condições são um pouco menos favoráveis, a bandeira passa a ser amarela e há uma cobrança adicional, proporcional ao consumo, na razão de R$ 1,00 por 100 kWh (ou suas frações). Já em condições ainda mais desfavoráveis, a bandeira fica vermelha e o adicional cobrado passa a ser proporcional ao consumo na razão de R$ 3,00 por 100 kWh (ou suas frações), para a bandeira vermelha – patamar 1; e na razão de R$ 5,00 por 100 kWh (ou suas frações), para a bandeira vermelha – patamar 2. A esses valores, são acrescentados os impostos vigentes.

Saiba Mais
Além das dicas do pesquisador do Grupo de Economia da Energia, Renato Queiroz, a Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica também sugere que os consumidores limpem regularmente o filtro do ar condicionado e só o liguem com o ambiente fechado; troquem as lâmpadas incandescentes pelas de LED, que são mais econômicas; apaguem a luz sempre que saírem; deixem a TV ligada só quando alguém estiver assistindo; esperem para lavar roupa e louça quando a máquina estiver cheia, e se puder, pintem o interior da casa com cores claras, para refletir melhor a luz.

Deixe seu comentário