O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, deixou nesta quarta-feira (21) o Palácio de Governo de Lima, após despedir-se de funcionários e trabalhadores, vários dos quais choraram depois da confirmação da sua renúncia.

Fontes do Executivo confirmaram hoje à Agência EFE que o presidente, de 79 anos, apresentou sua renúncia em meio à crise política causada pela divulgação de vídeos e áudios que mostram seus aliados tentando comprar votos de opositores para evitar sua destituição.

A decisão ocorre em um dia de extrema tensão política no Peru, devido à publicação de gravações envolvendo o presidente e vários de seus ministros, que tentam comprar votos de parlamentares para evitar a aprovação do pedido de impeachment de Kuczynski votado em dezembro. O mandatário que acaba de renunciar foi alvo de um processo de impeachment por ter feito negócios com a Odebrecht enquanto era ministro de Economia.

Também nesta quarta-feira o governo do Peru aprovou o pedido de extradição do ex-presidente Alejandro Toledo dos Estados Unidos (2001-2006), onde ele está foragido da Justiça peruana há mais de um ano, após ser acusado de receber propina da Odebrecht.

Deixe seu comentário