Nilton Zirbes de Oliveira recorda que, no início, a vizinhança se reunia para assistir TV

O recomeço. Sinal analógico será desligado em breve na região, marcando nova fase na história da TV brasileira

O desligamento do sinal analógico de TV, que ocorreria hoje, mas foi transferido para 14 de março na nossa região, será mais um marco na história dos meios de comunicação. Desde o surgimento, ainda na década de 1920, a TV passou por muitas mudanças, conforme você pode ver na linha do tempo ao lado. No Brasil, os primeiros aparelhos chegaram em 1950 e, já naquela década, algumas famílias mais abastadas possuíam aparelhos de TV na cidade.
O cirurgião dentista Nilton Zirbes de Oliveira, 66, lembra bem dos primeiros aparelhos de televisão que viu chegando a Montenegro. Ele, ainda criança, fazia parte da turma de guris

que assistiam a novidade de cima do muro. “Eram aparelhos em preto e branco, grandes e poucas pessoas tinham condições de comprar, porque era muito caro”, recorda.

Zirbes morava no Centro e lembra que Gilberto, filho de José Pedro Steigleder, comprou a primeira TV da rua. Diariamente, por volta das 18h30, as crianças escalavam o muro para ver os programas. “Era um casal muito despretencioso e deixavam a criançada assistir. Ela tinha horário certo para ligar a televisão e deixava a janela aberta para que a gente pudesse acompanhar”, recorda. O muro era alto e o jeito era contar com a ajuda dos amigos. “A gente subia um no ombro do outro para poder alcançar o topo do muro”, conta Zirbes.

Depois, o pai de Nilton, que fazia contabilidade para uma loja que vendia TVs, adquiriu a novidade. O equipamento pago em prestações foi motivo de festa. “A casa não tinha muro, então as pessoas iam chegando e entrando para ver televisão”, recorda.

Entre os programas que marcaram sua vida, o dentista destaca o de calouros do Ivan Castro, que apresentou o montenegrino Darney Lampert ainda guri. “Ele cantou e abafou. Uma das auxiliares de auditório era de Montenegro, a Denise Goulart”. Ele destaca ainda a participação popular nos programas de TV e o surgimento das telenovelas. “A primeira que eu vi foi ‘O direito de nascer”. Ele cita o sucesso dos programas humorísticos, que já satirizavam a corrupção desde os anos 1960. Hoje, com o novo avanço, Nilton Zirbes acredita que, mais do que a qualidade tecnológica, a TV precisa investir na qualidade de programação. “A gente observa a influência da TV na sociedade. A televisão está junto com as pessoas dentro de casa”.

Não fique de fora da história
Já fez as mudanças e não está com melhor som e imagem na TV? Não se desespere. Pode ser que ainda não esteja recebendo o sinal digital. Para isso, é importante seguir alguns passos, explicados pela Seja Digital.

TV’s de tubo (antigas) e alguns modelos das “fininhas” fabricadas antes de 2010 não estão aptas a receber o sinal digital. Por isso, necessitam da compra de um aparelho conversor , além da antena UHF.

As TV’s fabricadas após o ano de 2010 já vem com este conversor embutido. Este dado pode ser confirmado no manual do aparelho ou entrando em contato com o fabricante. Alguns aparelhos têm a etiqueta DTV, essa sigla indica que o televisor recebe o sinal digital. Caso essa etiqueta não exista no seu aparelho, você pode verificar o manual do aparelho. Lá estará especificado se ele recebe apenas o sinal analógico ou se também decodifica o digital.

Com ou sem conversor, uma antena externa UHF é necessária para que o sinal digital aberto seja captado.

Quem utilizar TV “por assinatura” (como Oi TV, Claro TV, Sky, etc) não sofrerá interferência deste prazo de desligamento, visto que ele trata da TV aberta. A TV “por assinatura” já chega em formato digital por meio do aparelho decodificador que é conectado ao aparelho televisor.

O desligamento ocorrerá em março para mais de 100 cidades do Rio Grande do Sul. A expectativa é que até dezembro de 2018, mais de 1300 cidades do Brasil terão o sinal analógico de TV desligado. Todos os canais abertos passarão a transmitir a programação exclusivamente pelo sinal digital.

De acordo com o Seja Digital, o desligamento irá liberar a faixa de 700MHz para a oferta de internet 4G ser expandida por todo o país. “O 4G é uma das tecnologias para telefonia móvel mais avançadas e permite que dispositivos como celular, smartphone, laptops e tablets acessem a internet com velocidades mais rápidas”, informa a entidade, em seu site. A transmissão digital é gratuita.

Deixe seu comentário