Um grande tapete transforma os alunos do Ensino Fundamental em peões de um jogo de tabuleiro educativo CRÉDITO: Vigilância Sanitária/Divulgação

O projeto “Brincando e aprendendo a combater o mosquito Aedes aegypti de forma lúdica” foi desenvolvido por uma equipe da Vigilância Sanitária de Montenegro e tem recebido destaque. Já foi premiado no 30º Congresso do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado com o segundo lugar dentre as experiências exitosas no Sistema Único de Saúde (SUS); abriu a Mostra de Saúde Coletiva da 1ª Coordenadoria Regional de Saúde, em Novo Hamburgo; e, agora, prepara-se para representar o município no 34º Congresso do Conselho Nacional de Secretarias Municipais, que ocorre no final do mês, em Belém do Pará.

Com a Educação Infantil, a equipe monta o cenário de uma casa, mostrando os pontos que precisam de atenção. foto: Vigilância Sanitária/Divulgação

A preocupação da Vigilância com o combate ao Aedes tem sido grande, dado ao recorde alarmante de focos encontrados do mosquito que transmite a dengue, a zica e a chikungunya. Diante disso, o projeto nasceu para sensibilizar os alunos do Ensino Infantil e Fundamental, no intuito de formar multiplicadores dos cuidados necessários dentro das famílias. Entre março e junho, foram 1800 alunos atingidos pela iniciativa, que consiste em um jogo didático, com um tapete, para os maiores; e o cenário de um casa, com orientações sobre os pontos de proliferação do inseto, para os menores.

“Eu vejo que esse destaque recebido é pelo caráter de simplicidade e de aplicabilidade do projeto”, declara a chefe da Vigilância, Silvana Schons, que é só orgulho pelos resultados alcançados por sua equipe. Nas escolas, conduzem as atividades as vigilantes Andressa Franciele de Abreu Pereira, Pamela Silva da Silva e Vanessa dos Santos Machado. Silvana salienta, ainda, que os outros membros do órgão também auxiliaram, com a confecção de parte dos materiais que dão forma à iniciativa.

As agentes Andressa Franciele de Abreu Pereira, Pamela Silva da Silva e Vanessa dos Santos Machado conduzem o projeto
CRÉDITO: Vigilância Sanitária/Divulgação

E o resultado já está sendo visto. “Pra nós, já está sendo muito positivo. A gente apostou na educação para formar um cidadão mais consciente e a gente já vê um retorno durante as visitas que os agentes fazem nas casas pela cidade. Os moradores já dizem: ‘ah, o meu filho aprendeu na escola e já me ensinou’. Ver o resultado é a nossa maior premiação”, destaca. A chefe da Vigilância avalia que, no próximo ano, o índice de focos já comprovará os bons resultados da aplicação deste projeto.

Ela frisa o apoio da Administração Municipal, pela preocupação na aquisição dos materiais, e o da secretária municipal de Saúde, Ana Maria Rodrigues, que fomentou o envio do projeto para a avaliação do Congresso. No momento, ainda estuda-se a viabilidade do envio de uma comitiva, com a secretária e alguma das representantes do trabalho desenvolvido, ao Pará, para a apresentação. O Congresso Nacional ocorre entre os dias 25 e 27 de julho.

Deixe seu comentário