Distância de itens que atraem os jovens e corte nas propagandas são principais mudanças CRÉDITO: José Antonio Teixeira/Senado

Ontem, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou novas regras para a exposição e a comercialização de cigarros e outros produtos derivados do tabaco. As ações foram aprovadas por unanimidade e devem entrar em vigor até maio deste ano. Dentre as medidas, está a maior restrição da exposição das embalagens, que deverão manter o máximo de distância possível de itens destinados ao público infanto-juvenil, como balas e chocolates.

Além disso, fica proibido o uso de recursos de marketing adicional para os produtos, como cores, sons ou iluminação direcionada aos mostruários que expõem as embalagens. Este trecho do texto vem em complemento a outra medida, já aprovada no fim do ano passado, que vetou as propagandas que induzam o consumo do tabaco de forma a sugerir que este não é prejudicial à saúde.

De acordo com um estudo realizado pela revista científica Tobacco Control, em cima dos 77 países onde as propagandas já foram banidas, a medida é eficiente. Nos locais, houve redução média de 7% na prevalência do tabagismo entre adultos. Por outro lado, uma pesquisa complementar constatou que 77% dos jovens que já viram cigarros em supermercados, padarias, ou bancas de jornais se sentiram influenciados a consumir o produto.

Deixe seu comentário