Guarda-vidas pede a colaboração da população visando um verão mais tranquilo para todos. Fotos: Arquivo pessoal

Cuidado. Braulio Silvano dos Santos Augustin, 48 anos, zela pela vida dos veranistas desde 1993 no litoral gaúcho

Braulio dos Santos Augustin. Fotos: Arquivo pessoal

Uma vida destinada a salvar vidas. O sargento do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) Braulio Silvano dos Santos Augustin, 48 anos, está na sua 24ª Operação Golfinho. Ele atua como guarda-vidas, nova nomenclatura para salva-vidas no Estado, desde 1993. Já perdeu as contas de quantos salvamentos participou nas diversas praias gaúchas pelas quais passou.

Augustin responde rápido sobre qual o sentimento ao realizar um resgate. “É uma gratidão. Não tem preço tirar alguém da água, fazer um salvamento. O pessoal agradece muito”, afirma. Além de banhistas, ele já socorreu pilotos de jetski com problemas mecânicos e surfistas com dificuldades de retornar para a beira do mar.

O policial militar, o mais antigo do 5º BPM a exercer a atividade, recorda como marcante o salvamento de duas gêmeas. Elas tentaram atravessar o Rio Tramandaí, na divisa entre as praias de Tramandaí e Imbé, quando acabaram arrastadas para o mar pela força das águas.

As adolescentes de 16 anos foram salvas por Augustin e um colega somente cerca de 500 metros depois em direção de Tramandaí. “Só fomos ver que eram gêmeas quando tiramos elas da água. O salvamento demorou bastante, tivemos que entrar no Rio e depois no mar”, lembra. Uma delas foi atendida na faixa de areia e a outra precisou ser levada ao hospital, mas ficou bem.

Na atividade, uma das providências tomadas por quem cuida dos veranistas é tentar fazer as pessoas ficarem calmas. “É difícil, mas vamos conversando e tranquilizando até conseguir tirar a pessoa da água”, comenta. Atualmente, dez integrantes da região fazem parte da Operação Golfinho.

Aos 48 anos, o guarda-vidas cumpre uma rotina intensa para se manter em forma. “Tenho que estar sempre correndo e nadando. Durante o ano, faço corrida. Também nado em piscina térmica e em um açude em Costa da Serra”, comenta. E o desejo é continuar na missão. “Enquanto eu entender que tenho condições e passar nos testes, vou ficando. Pelo menos, mais três ou quatro anos. Ainda estou nadando bem”, ressalta.

O sargento lembra a importância de os veranistas colaborarem com o trabalho dele e dos seus colegas. Tomar banho sempre em frente às guaritas, no horário das 8h30 às 19h30, quando os guarda-vidas estão trabalhando, além de não ingerir bebida alcóolica antes de entrar no mar são algumas medidas importantes a serem adotadas.Também é importante estar atento às bandeiras: verde (mar bom), amarela (cuidado) e vermelha (perigoso). A azul significa pessoa encontrada.

Deixe seu comentário