ATIVIDADES terminam hoje, na sede da Escola, localizada no bairro Senai

“Feira Di Versos: Diversidade e Literatura” termina hoje, com uma programação variada para incentivo da leitura

Para a alegria dos alunos, dos professores e da comunidade visitante, a Escola Municipal de Ensino Fundamental José Pedro Steigleder retomou, ontem, a “Feira Di Versos: Diversidade e Literatura”. O evento é a culminância dos trabalhos realizados durante o ano letivo, junto com as professoras de Português e de Arte, assim como a responsável pela biblioteca, Patrícia Franz. Segundo ela, são usadas formas estratégicas de incentivo à leitura durante as aulas, mas nada se compara ao alcance da feira, quando é o momento de tudo isso ser apresentado. “É uma oportunidade de envolvimento, onde os alunos interagem e mostram aos colegas o que eles mesmos criaram”, reforça.

Carlos Fernando Leser, que dá nome à biblioteca da escola, foi escolhido como patrono

As atividades se encerram hoje. A programação de ontem já contou com dezenas de estudantes prestigiando o talento dos colegas. Teve apresentação de poemas lidos, outros coreografados, acolhida do patrono Carlos Fernando Leser, que também dá nome à biblioteca da escola, apresentação da banda marcial e visitação aos projetos e livros expostos.

Para o poeta e filósofo Leser, a possibilidade de promover o crescimento do aluno durante esses eventos é fantástica. “Escolas que organizam uma feira já possuem um diferencial. Elas colocam os alunos para criar, incentivam a escrita, a leitura, e as crianças acabam justificando a existência do escritor”, destaca. Hoje, continuam as apresentações. Haverá, também, momentos de bate-papo com escritores de Montenegro e de fora da cidade. A visitação na feira é gratuita.

ALUNOS AVALIAM POSITIVAMENTE O RETORNO
Matheus Felipe Cardoso Ferreira, de 16 anos, diz que a retomada da feira literária serviu para que os alunos interagissem mais uns com os outros. “A minha turma, por exemplo, é só de repetentes. Então a gente não costuma fazer muitas atividades. Éramos preguiçosos”, revela. “Com a ideia de fazer apresentação na feira, tivemos que nos relacionar e vejo que os resultados foram bons”, afirma.

A estudante Luana Maia também tem o mesmo pensamento. Ela já está na escola desde 2010 e sentiu falta quando a José Pedro deixou de promover o evento. “Ficamos uns três anos sem ele e percebemos isso. Gosto de como nos motiva a ler, principalmente eu que já tenho a prática”, relata.

Programe-se
– 8h, conversa com Magnus Pilger, 6º ano
– 8h45min – Conversa com Carlos Fernando Leser, ao 7º ano
– 10h, premiação do concurso anúncios, 7º ano
Analista de Bagé, esquetes 7º ano
Sarau
Conversa com Rafa Rafuagi
– No palco, às 13h, sarau
– O Grande Rabanete – teatro da turma 51
– Banda Marcial
– 14h – A Pata Formosa, com Adriana Pimentel, no palco

Deixe seu comentário