De SALVADOR DO SUL, a Mega Embalagens conquistou prêmio pelo segundo ano consecutivo. Foto: Divulgação/Mega Embalagens

Prêmio Exportação RS. 55 companhias que se destacam em vendas ao exterior foram agraciadas em jantar

As principais empresas exportadoras do RS foram homenageadas ontem à noite, 7, em Porto Alegre, por lideranças das 17 instituições gaúchas que possuem relação de suporte ou apoio aos negócios internacionais, como Apex-Brasil, Agenda 2020, ADVB/RS, Badesul, Banco do Brasil, Banrisul, BRDE, Farsul, Federasul, Fecomércio-RS, Fiergs, Movimento Brasil Competitivo, Porto do Rio Grande, PwC Brasil, Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade, Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia do RS e Ufrgs.

Osmar Reis e Ivo Schüler, diretores da Noko Química, com o Prêmio. foto: Divulgação/Noko Química

Realizado há 46 anos, o Prêmio Exportação RS reconheceu neste ano 55 empresas, divididas nas categorias quantitativa (leva em conta dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e qualitativa (baseada na expertise das entidades representadas no Conselho do Prêmio Exportação RS). Do Vale do Caí, as vencedoras foram a Mega Embalagens, de Salvador do Sul, e Noko Química, de Portão. A Tanac, de Montenegro, desta vez ficou de fora, mas acumula diversos desses troféus.

Durante a premiação, o Conselho do Prêmio Exportação RS também entregou o prêmio Personalidade Competitividade Internacional 2018 para Cláudio Guenther, presidente da Stihl no Brasil. Essa distinção é oferecida todos os anos a uma liderança empresarial ou profissional que atue no comércio exterior e tenha realizado ações de incentivo à inserção de produtos brasileiros lá fora. Este ano, o conselho fez uma homenagem póstuma a Raul Randon, um dos fundadores das empresas Randon, por sua contribuição ao mercado exportador.

Com seu sexto “Oscar da Exportação” no currículo, o diretor da Noko Química, Ivo Schüler, destaca que os produtos oriundos da fábrica de Portão abastecem os principais mercados consumidores de couro do mundo, em mais de 20 países. “Apesar das enormes adversidades com que nos deparamos diariamente — como a instabilidade do câmbio, os gargalos logísticos e as caras e demoradas etapas burocráticas que caracterizam o comércio exterior brasileiro —, a Noko entrega especialidades químicas de alta eficácia aos mais exigentes clientes globais”, salienta.

Conheça as empresas premiadas
De Sírius Cosméticos, Lexsis Sistemas, Maquetec do Brasil, Maria Pavan, Pipi Dolly´s, Uno Mundo, Zotti Termoplástico, 3 Tentos Agroindustrial, Cooperativa Languiru, Docile, Randon Implementos, Tecnova, Newfer, Simbiose Agrotecnologia Biológica, Comissária Pibernat, Euro-américa International Freight Forwarders, Grupo Doracorp, Interlink Cargo, Tecon Rio Grande, Tito Smart Modal Logistics, Exicon Trading, Ael Sistemas, Bia Brazil Activewear, Cachaçaria Weber Haus, Cavaletti S.A Cadeiras Profissionais, Checklist Fácil, Dana, E.R. Amantino (Boito), Elliottiis do Brasil, Fante Vinhos, Sucos e Destilados, FCC, JGB Equipamentos Segurança, Leal Santos, Maxiforja Componentes Automotivos, Mega Embalagens, Móveis Carraro, Noko Química, Piomade, RAR | RASIP, Sena Madeiras, Tecnovin do Brasil, Vinícola Aurora, Werner Calçados e Xalingo.

Troféu é resultado de um trabalho ao longo de anos
Contatado pelo Jornal Ibiá, Gustavo Graf Kirsch, gerente comercial da Mega Embalagens, de Salvador do Sul, afirma que este é o segundo Prêmio Exportação RS da empresa, que atua no exterior há 16 anos. Para atingir esse resultado, porém, é necessário muito trabalho, um planejamento estratégico eficiente e uma atenção especial aos relacionamentos com a clientela. Confira a entrevista a seguir:

A Mega Embalagens conquistou mais uma vez o Prêmio Exportação RS. A que fatores a companhia atribui o fato de estar neste seleto grupo de indústrias gaúchas que se destacam nos mercados globais, mesmo num cenário tão adverso?
O principal fator é a dedicação total da empresa para o desenvolvimento de novos negócios no mercado externo, um processo que vai desde o seu planejamento estratégico até o treinamento de novos colaboradores. Em um mercado tão complexo e customizado como o de embalagens plásticas flexíveis, a empresa entende que os relacionamentos, principalmente com clientes do exterior, levam algum tempo para transformar-se efetivamente em negócios. Por esse motivo, a Mega Embalagens já atua no mercado internacional há 16 anos. Diante deste contexto, em momentos de grande incerteza como o que vivemos atualmente a nível doméstico, a exportação torna-se uma alternativa fundamental para a manutenção do crescimento da empresa. O seu resultado é fruto do trabalho realizado ao longo de todos esses anos.

Com que sentimento a empresa recebe o troféu e o que ele representa em termos de reconhecimento e motivação no dia a dia?
A empresa está muito feliz por ser agraciada pelo segundo ano consecutivo com o Prêmio Exportação RS. Esse reconhecimento nos motiva cada vez mais a acreditar no potencial exportador do nosso Estado e da nossa empresa, mesmo diante de um cenário adverso e prognósticos desafiadores para nossa economia em geral. O planejamento para os próximos anos é seguir investindo no desenvolvimento das exportações, ampliando mercados, intensificando as ações, bem como adaptando-se às novas tendências e inovações tecnológicas.

Quais são os países para os quais a empresa embarca seus produtos?
A empresa exporta para mais de dez países entre América do Norte e Central e, principalmente, América do Sul.

Para quais tipos de produtos a Mega produz embalagens?
Posicionando-se entre as principais empresas de embalagens plásticas flexíveis do Brasil, na linha de produtos oferecida pela Mega Embalagens há opções para segmentos diversos, entre os quais destacam-se, as embalagens para nutrição animal (pet food), higiene e limpeza, produtos agropecuários e alimentícios em geral.

Deixe seu comentário