Descontos podem ultrapassar 50% em alguns itens, segundo promete, principalmente, o segmento de e-commerce

Uma promoçãozinha sempre cai bem, não é mesmo? Então imagine um dia inteiro de liquidações, em que os descontos chegam a mais de 50%. Essa data existe, está próxima (24 de novembro) e é conhecida como Black Friday. Diversos segmentos comerciais, como empresas de tecnologia, alimentos e calçadistas, participarão do torra-torra. Muitas, inclusive, anunciaram o mês todo de reduções nos valores dos produtos. Outras tantas prometeram parcelamentos sem juros em novembro e preços abaixo das tabelas para diversos itens.

Conforme a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), a estimativa é de que o setor venda 2,506 bilhões com a Black Friday deste ano, representando um aumento de 18% em comparação a 2016.

De acordo com o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Montenegro, Tiago Feron, ainda não há nada concreto programado para o comércio varejista na Black Friday da cidade. “Mas estamos estudando a possibilidade de unirmos forças para trabalhar esta data”, comenta.

Como não ser enganado nas compras on-line
De acordo com o acadêmico de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Antonio Gonçalves, 33 anos, a Black Friday é um prato cheio para diversas estratégias de ataque cibernético, em especial o phishing. “O phishing ocorre assim: digamos que você receba um e-mail com um link promocional dando 30% de desconto em diversos itens de uma loja online. Você clica e segue até a loja; tudo parece correto. Efetua-se a compra e então basta aguardar o item chegar; porém esse item nunca chega”, explica.

A pessoa só descobre o golpe, e que a loja não era verdadeira, quando resolve reclamar, de acordo com o estudante. “E ela passou a deter, ainda, todos os dados do seu cartão de crédito e poderá, de agora em diante, fazer compras com ele em qualquer e-commerce”, salienta.
Mas há como efetuar uma compra segura? Sim, segundo Antônio, com as devidas precauções. “Para não cairmos nos phishings, que se espalham aos montes nas épocas promocionais, é importante ter em mente que algumas verificações devem ser feitas antes de sair clicando em links ou distribuindo os dados do cartão de crédito”, afirma.

Orientações para evitar golpes
1ª – O link leva para alguma loja mesmo?
É possível que o link seja um link de download e, ao clicar, pode acabar baixando um vírus para o computador. Para evitar isso, basta deixar o mouse sobre o link e ver todo o caminho dele. Se terminar em “rar .zip .exe” é golpe. Se ele levar para alguma página que pede para baixar algo, é golpe também.

2ª – O link levou a uma loja, mas essa loja tem certificado?
Toda loja idônea possui certificado digital. Para conferir, basta ver no endereço dela, antes do www, se está escrito “seguro” e se mostra um ícone de “cadeado”. Se não tiver, é golpe na certa.

3ª – A loja tem certificado; mas ela é conhecida, tem avaliações?
Mesmo um site falso pode exibir certificado, hoje em dia. Por isso, antes de comprar em uma loja desconhecida, é necessário fazer uma rápida pesquisa pelo Google para averiguar se a loja existe de fato, se tem avaliações ou reclamações. Quanto mais dados souber da existência, mais segura será a compra. Se não conseguir informações sobre essa loja desconhecida, evite comprar nela, por segurança.

4ª – Mantenha Anti-vírus ligado e atualizado.

Deixe seu comentário