Heitor Müller recebeu homenagem do atual presidente da Fiergs, Gilberto Petry (D)

Reconhecimento foi entregue no 35° Encontro Econômico Brasil Alemanha, encerrado ontem, em Porto Alegre

O empresário montenegrino Heitor José Müller foi homenageado pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs) durante o 35º Encontro Econômico Brasil Alemanha (EEBA). De acordo com o presidente da entidade, Gilberto Porcello Petry, Müller é o principal responsável pelo evento que foi realizado entre domingo e ontem, reunindo mais de dois mil industriais alemães e brasileiros em Porto Alegre.

Os preparativos para o EEBA iniciaram ainda no ano passado, ocasião em que o montenegrino dirigia a Federação das Indústrias (ele foi presidente entre julho de 2011 e julho de 2017), e passaram até mesmo por uma missão técnica à Alemanha em outubro do ano passado. O ex-presidente da Fiergs sempre esteve à frente das articulações.

O país europeu tem forte vínculo com o Rio Grande do Sul porque o Estado — precisamente São Leopoldo — é considerado o berço da colonização alemã no Brasil. As relações comerciais têm grandes potenciais de avanço, mas esbarram na burocracia e na tributação. A Alemanha é um dos principais investidores estrangeiros no País. Ocupou a oitava posição em 2015, representando 3% do total de investimentos vindos de fora no Brasil. Desse total, 71,5% foram para a indústria de transformação.

O CEO da Waelzholz Brasmetal Laminação, Andreas Reil, afirmou que entender o sistema tributário brasileiro é uma tarefa extremamente complicada, o que dificulta os investimentos. “Quem vem de fora tem muita dificuldade com as questões de impostos no Brasil”, lamenta.

O vice-ministro do Ministério de Assuntos Econômicos e Energia da Alemanha, Mathias Machnig, observou que as empresas que pretendem aderir à indústria 4.0 precisam “investir maciçamente” na qualificação dos funcionários para essa nova era. Na visão dele, existem grandes oportunidades de parcerias entre Brasil e Alemanha, como infraestrutura e energia — especialmente eólica e solar.

Deixe seu comentário