Roda de Conversa sobre saúde mental reuniu profissionais da área, pessoas atendidas pelo Caps e representantes de diversas entidades

Evento. Atividade ocorreu ontem, Dia de Luta Antimanicomial, dentro das atividades da Semana Loucos Pela Vida

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de Montenegro celebrou, nesta quinta-feira, o Dia da Luta Antimanicomial. Para lembrar a data, a entidade realizou, na manhã de ontem, o evento Roda de Conversa, que reuniu cerca de 100 pessoas no centro da Praça Rui Barbosa.
A ação faz parte da 2ª Semana Loucos pela Vida que contou com oficinas, rodas de conversa, show de talentos e, até mesmo, com uma sessão de cinema. O objetivo da semana é conscientizar a população sobre o cuidado de pessoas com doenças psíquicas.

“Queremos sensibilizar quanto aos cuidados na família, como o acolhimento, através de escuta, buscando entender quais as necessidades desse público”, explica a coordenadora do Centro de Atenção Psico Social, (CAPS) Jaqueline Porto.

Ela ainda esclarece que, no passado, as pessoas eram isoladas da sociedade em manicômios e muitos eram simplesmente esquecidos pela família. “Muitos nunca mais voltavam à convivência familiar, embora atualmente tenhamos os substitutivos do manicômio como o CAPS e leitos em saúde mental no Hospital Montenegro e a rede de atenção social, ainda hoje é preciso desconstruir nas nossas mentes da ideia de isolamento como tratamento”, afirma Jaqueline.

A programação da Semana está dentro da Feira de Saúde, organizada pela Secretaria Municipal de Saúde. A programação segue hoje com gincana e piquenique para os usuários do Caps no Parque Centenário.

Creas distribui panfletos sobre cuidados com as crianças 
Paralelo a esse evento e também para marcar o Dia de Combate à Exploração Sexual Juvenil, a equipe do Centro de Referência Especializado de Atenção Social (Creas) também realizou, na praça Rui Barbosa, a distribuição de panfletos sobre os cuidados e a atenção com crianças e adolescentes, seja para previnir abusos ou mesmo de lidar com os que já foram vítimas.

“Estamos conscientizando a comunidade, sobre os nossos serviços. Atendemos famílias encaminhadas pelo Conselho Tutelar e que precisa de ajuda após abuso sexual de menores… é importante que todos se sensibilizem e façam as denúncias quando suspeitar de algum tipo de violência sexual”, afirma o psicólogo do CREAS Guilherme Bulcão Manica.

Deixe seu comentário