Foto: Arquivo pessoal

Duas montenegrinas disputam a faixa de 1ª Prenda Estadual nas categorias mirim e adulta, no concurso estadual

A Cidade das Artes está bem representada na etapa estadual da 48ª Ciranda Cultural de Prendas do Rio Grande do Sul, que acontece até o próximo sábado, na cidade de Campo Bom. As prendas montenegrinas que estão na disputa representam a 15ª Região Tradicionalista. Érica Weizenmann da Silva concorre ao título de Prenda Mirim do Estado e Samantha Drower Fagundes busca a faixa de Prenda Adulta.

Promovido pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), o evento recebe gaúchas das 30 regiões tradicionalistas do Estado e ocorre na região de origem da atual 1ª Prenda. Por meio da Ciranda Cultural, o MTG busca despertar o gosto pelas tradições, bem como se incentiva a gradativa e natural integração das jovens no meio tradicionalista.

Durante os três dias, as participantes realizam provas específicas. Divididas nas categorias mirim, juvenil e adulta, as prendas são avaliadas em várias etapas: escrita, artística, oral, caracteres pessoais, mostra folclórica ou arte tradicional, além do relatório de atividades em que constam os projetos desenvolvidos a partir de assuntos específicos. Serão eleitas, por ordem de classificação e nas respectivas categorias, a 1ª, a 2ª e a 3ª Prendas.

Érica Weizenmann da Silva, 10 anos
Érica Weizenmann da Silva, 10 anos, é 1ª Prenda da 15ª Região e representante do CTG Estância do Montenegro.
Segundo Carina Weizenmann, mãe dela, a menina está em um intenso momento de preparação para o concurso. A expectativa da família é que ela represente bem a região, o CTG e a cidade de Montenegro, almejando receber o título de 1ª Prenda Mirim.
Para a prova oral, deverá ser apresentado um brinquedo folclórico e a montenegrina falará da famosa “perna de pau”. Já na mostra folclórica, outra fase que conta pontos, a infância será exibida a partir de um sítio montado com dobradura de papel em uma base de quatro metros quadrados. Érica terá que cantar, executar uma dança tradicional gaúcha e uma dança de salão, típica do Rio Grande do Sul.

Foto: Arquivo pessoal

Samantha Drower Fagundes, 20 anos
Há quase um ano iniciou a preparação da jovem para a etapa estadual. Durante este período, foram realizadas ações em escolas e alguns eventos com registros em um relatório, o qual será avaliado pelos jurados.
“Estou estudando bastante para as provas escrita e artística. Tive muitos ensaios e uma pesquisa elaborada do uso das vestimentas na vida gaúcha”, afirma Samantha. Ela falará sobre características e outras curiosidades do vestido de noiva. Em sua primeira participação na Ciranda Cultural, ela se diz confiante para receber a faixa de 1ª Prenda. “Acredito que seja uma consequência do trabalho bem executado. O que for pra ser, será”, diz a jovem.

Deixe seu comentário