De acordo com proprietários e funcionários de estabelecimentos locais, situação se estende há quase seis meses

Prazo definido. Buraco em frente ao posto Central Park ocasiona transtorno para moradores e frequentadores

Transitar pela Rua Buarque de Macedo, próximo do posto Central Park, pede muita atenção. Isso porque um buraco, na extremidade direita da via, está ali trazendo transtorno. Segundo informações dos estabelecimentos locais, na semana passada, um veículo que manobrava no local, entrou com uma roda no buraco. Em um dia de chuva, também recentemente, por pouco um senhor não se acidentou de bicicleta ao passar pela área. Além disso, quando faz calor, o cheiro do esgoto que sai dali é nauseante.

Por intermédio da Assessoria de Comunicação do Município, a Secretaria Municipal de Viação e Serviços Urbanos (SMVSU) comprometeu-se que, em no máximo 15 dias, fará intervenção no local. Adriani Reimann, farmacêutica da farmácia que fica em frente ao buraco, conta que a situação já se estende há cerca de seis meses e que ela vinha fazendo solicitações constantes à Prefeitura por uma solução. Segundo ela, um processo administrativo para o conserto foi aberto no dia 27 de outubro, tendo uma equipe, inclusive, se deslocado até lá para a obra. Na ocasião, o atraso na vinda do material e o inicio da chuva teria afastado os funcionários públicos.

Adriani relata que o problema partiu de uma obra realizada anteriormente no local, pois ali, em dias de muita chuva, a água não tinha lugar para passar e isso gerava transtornos. As adequações feitas – de acordo com a SMVSU, por responsabilidade da Corsan – acabaram acarretando no buraco. Quem olha, dali para baixo, enxerga a água passando. “Logo que fizeram já começou a cair o material”, aponta a farmacêutica. Preocupado, um cliente da farmácia tomou a iniciativa de buscar pedaços de madeira para sinalizar o problema aos motoristas.

Hoje, um pneu de bicicleta e alguns ferros também auxiliam neste intuito. Um dos frentistas do posto Central Park conta que, seguido, ele e os colegas colocam sacolas plásticas ali para auxiliar na visualização. O profissional comenta, ainda, que, toda vez que algum vereador passa para abastecer no estabelecimento, ele indica o problema em busca de soluções. Está aguardando, agora, junto da farmacêutica e demais moradores, estabelecimentos e frequentadores da rua, pelo cumprimento do prazo dado pela Administração.

Deixe seu comentário